Expressionismo ganha os museus da capital

A partir do dia 10, os Museus de Arte Moderna de São Paulo (MAM) e Lasar Segall abrem as exposições Expressionismo Alemão: Destaques da Coleção Von der Heydt-Museum Wuppertal, Matrizes do Expressionismo no Brasil: Abramo, Goeldi, e Segall e Segall: Retratos Expressionistas. Os dois eventos em conjunto servem para mapear o expressionismo, gênero artístico que teve seu auge na primeira metade deste século. Paralelamente à mostra também haverá exibição de filmes, palestras, apresentações musicais, livros, dança e teatro ligados ao movimento. As mostras e eventos dedicados ao expressionismo são uma homenagem aos 500 anos do Descobrimento do Brasil. Sob curadoria de Sabine Fehlemann, diretora do Von der Heydt-Museum Wuppertal, uma coleção com 60 peças dos artistas Adolf Erbslöh, Alexej von Jawlensky, August Macke, Christian Rohlfs, Emil Nolde, Erich Heckel, Ernst Ludwig Kirchner, Franz Marc, Gabriele Münter, Heinrich Campendonk, Heinrich Nauen, Karl Hofer, Karl Schmidt-Rottluff, Marianne Werefkin, Otto Mueller, Paula Modersohn-Becker e Wassily Kandinsky. Ao todo são 68 pinturas e gravuras vindas do acervo do Museu Von der Heydt, na cidade de Wuppertal, Alemanha. Haverá também outras 90 obras brasileiras, que mapeam o trabalho dos precursores do movimento no Brasil. São eles Lívio Abramo (1903-1992), Oswaldo Goeldi (1895-1961) e Lasar Segall (1891-1957). Segundo explicou o curador-chefe do Mam, Tadeu Chiarelli, os trabalhos de Abramo e os de Segall integram o acervo do Museu Lasar Segall. Por isso foram selecionados pelo seu diretor, Marcelo Araújo. Os de Goeldi, por sua vez, pertencem à coleções institucionais e particulares do Rio de Janeiro e de São Paulo e foram selecionados por Lauro Cavalcanti, diretor do Paço Imperial, Rio de Janeiro, onde as exposições permaneceram em cartaz de 8 de agosto a 24 de setembro deste ano. Na exposição do Museu Lasar Segall, que também tem início no dia 10 de outubro, serão exibidas 12 pinturas, aquarelas e gravuras da coleção Von der Heydt-Museum Wuppertal. Para completar o ciclo de exposições destinado ao movimento expressionista no Brasil, o Museu Lasar Segall também apresenta a mostra Segall: Retratos Expressionistas, com 10 obras, entre pinturas sobre tela e papel, desenhos e gravuras de personagens do meio cultural da Alemanha. A história do expressionismo foi construída especialmente com a ajuda de dois grupos, que estarão representados na mostra do mam: Die Brücke (A Ponte) e Der Blaue Reiter (O Cavaleiro Azul). O primeiro, fundado em 1905, representava a ala mais radical dos artistas. Sob liderança de Ernst Ludwig Kircher e participação de Erich Heckel, Karl Schmidt-Rottluf e Emil Nolde, essa corrente encontrava correspondência para seus ideais na xilogravura. Expressionismo Alemão: Destaques da Coleção Von der Heydt-Museum Wuppertal e Matrizes do Expressionismo no Brasil: Abramo, Goeldi e Segall - MAM, Parque do Ibirapuera - Portão 3 ? De 11 de outubro a 10 de dezembro; Terças, quartas e sextas, das 12 às 18 horas; quintas, das 12 às 22 horas; sábados, domingos e feriados, das 10 às 18 horas R$ 5,00; Às terças, o dia todo, e às quintas, a partir das 17 horas, a entrada é franca ; Tel: (11) 5549 9688. Expressionismo Alemão: Destaques da Coleção Von der Heydt-Museum Wuppertal e Segall: Retratos Expressionistas - De 11 de outubro a 10 de dezembro, de Terça a sábado, das 14 às 19 horas, quartas, das 14 às 21 horas e domingos das 14 às 18 horas no Museu Lasar Segall (Rua Berta, 111 - Vila Mariana); Tel: 5574 7322. Entrada franca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.