Exposições sobre 11 de setembro tomam conta de NY

Em meio a uma enxurrada de eventos paramarcar o primeiro aniversário do atentado terrorista ao WorldTrade Center, exposições são a mídia preferida para homenagearos mortos e manter o espírito de esperança. Fotografias, objetose até estátuas de cera relembram os momentos trágicos de 2001 ouapontam para novos horizontes em uma temporada em que editorasde livros, lojistas e instituições culturais se esforçam paratentar descobrir o tom apropriado para tratar o assunto.O museu do Departamento de Polícia de Nova York, quefica no Distrito Financeiro, a mesma região em que eram asTorres Gêmeas, montou a exposição Stronger than Ever: The NYPDResponds to 9/11, que homenageia os 23 policiais mortos natragédia (o número de bombeiros foi bem maior). Na mostra, estãoobjetos recuperados entre os entulhos do World Trade Center,como pistolas, rádios, sirenes e bandeiras e até um carro,completamente amassado. Em um outro andar está o Hall dos Heróis, que reúne fotos, diplomas, medalhas e itens pessoais dospolicias que morreram.Uma outra exposição de clima sóbrio está instalada apoucos metros do Ground Zero. The City Resilient é compostapor 73 imagens feitas pelo fotógrafo Joel Meyerowitz, que ganhouacesso à area logo depois da tragédia para elaborar um arquivopara o Museu da Cidade de Nova York. Ele chegou a produzir maisde mil imagens e algumas delas foram ampliadas para tamanhos deaté seis metros de largura. As fotos já foram exibidas em váriospaíses e devem depois seguir para outras cidades americanas.Uma homenagem simples, mas marcante, foi montada pelomuseu de cera Madame Tussaud´s, em Times Square. Uma das imagensmais marcantes da tragédia, uma foto de três bombeiros erguendoa bandeira americana entre os entulhos do Ground Zero poucashoras depois da queda dos edifícios, foi transformada eminstalação. Réplicas dos bombeiros foram colocadas emum cenário que inclui luz dramática, trilha sonora e projeçõesde imagens reais da tragédia. O clima de efeitos especiaisemociona o público, que pode ver também fotos do local emgrandes painéis. A imagem que inspirou a exposição gratuita,batizada simplesmente de Hope, foi publicada originalmentepelo jornal nova-iorquino Daily News.A esperança também é a palavra de ordem para um projetoidealizado pela revista New Yorker em parceria com a marcade roupas Benetton. A equipe da Fabrica, responsável pelascampanhas da grife, fotografou pessoas do mundo todo de olhosfechados, imaginando o futuro. Os desejos de cada personagemaparecem escritos nas imagens, que estão em exposição noedifício da Condé Nast, em Times Square, e reproduzidas narevista.O Museu da Cidade de Nova York, por sua vez, resolveureunir trabalhos feitos por crianças na mostra The Day OurWorld Changed: Children´s Art Of 9/11. São 83 criações, entrecolagens, desenhos e pinturas, retrando os ataques e também ossentimentos das semanas seguintes à tragédia - todos feitas porcrianças e adolescentes, entre 5 e 18 anos. A mostra também vaigerar um livro de mesmo nome, que chega às lojas nesta semana.Stronger than Ever: The NYPD Responds to 9/11 - . NYC Police Museum, 100 Old Slip entre Water e South Streets. www.nycpolicemuseum.orgThe City Resilient - Antigo edifício da At&T, 195 Broadway, esquina com Fulton Street. www.mcny.org/cityresilient.htmHope - Madame Tussaud´s, 234 West 42nd Street, entre Seventh eEighth Avenues. www.madame-tussauds.comVisions of Hope - Lobby do Edifício Condé Nast, 4, Times Square, entrada pela esquina da 42nd Street.The Day Our World Changed: Children´s Art of 9/11 - The Museum of the City of New York, 1220 Fifth Avenue, entre 103rd e 104th Streets. www.mcny.org

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.