Exposição ´sleepwalkers´ é projetada sobre o MoMA de NY

Trabalhar à noite em Nova York nunca antes foi uma ocupação tão artística. Isso se deve a um trabalho novo em vídeo intitulado "sleepwalkers" (sonâmbulos), que mostra trabalhadores fictícios indo para seus empregos noturnos. O vídeo está sendo projetado sobre a fachada externa do Museum of Modern Art (MoMA), no centro de Manhattan. Os transeuntes podem parar para assistir ao vídeo gratuitamente todas as noites, até meados de fevereiro. Estendendo-se por vários andares e diversos telões, "sleepwalkers" mostra um mensageiro de bicicleta, um eletricista, um funcionário dos correios, um empresário e uma funcionária de escritório, enquanto dormem, acordam e vão trabalhar, no momento em que o sol se põe sobre Nova York. "Você avança do privado para o público, um momento de trânsito e movimento que leva você até onde essas pessoas trabalham", explicou o criador da instalação, Doug Aitken, em sua abertura esta semana. "Eu quis trabalhar com cinco personagens muito diversos e vê-los destacando aspectos distintos da cidade." Os mais conhecidos do elenco são o ator Donald Sutherland, que representa o empresário, a atriz britânica Tilda Swinton, que é a funcionária de escritório, e o ator e músico brasileiro Seu Jorge, o eletricista. Cada uma das cinco narrativas silenciosas tem 13 minutos de duração. Elas se recombinam continuamente no decorrer de cada noite, justapondo os personagens de maneira diferente a cada performance. Aitken, 38 anos, comparou o trabalho a um caleidoscópio. Projeção em vidro A instalação será projetada na fachada externa de vidro, aço e granito do museu todas as noites até 12 de fevereiro, das 17h às 22hs. Aplaudindo o projeto de arte em sua abertura, o prefeito Michael Bloomberg falou: "Esse trabalho nos leva a refletir e a olhar para o ambiente que nos cerca de várias maneiras diferentes. É realmente o que faz Nova York ser Nova York." O californiano Aitken já fez outros trabalhos em telões múltiplos, entre eles "electric earth," que recebeu o Prêmio Internacional da Bienal de Veneza em 1999. Em 2000, sua instalação "glass horizon" projetou um par de olhos sobre a fachada do edifício Vienna Secession à noite, e, em 2001, sua exposição na Serpentine Gallery, em Londres, utilizou o edifício inteiro para sua instalação "new ocean".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.