Exposição retrata perseguição a japoneses na 2ª Guerra

A 2ª Guerra Mundial não causou estragos apenas para os japoneses que moravam em Hiroshima e Nagasaki, as cidades atingidas pela bomba atômica lançada sobre o país em 1945. Os imigrantes asiáticos residentes no Brasil também foram duramente perseguidos naquele período pela polícia brasileira. Isso é retratado na exposição Círculo Fechado, que segue até junho no prédio do antigo Departamento Estadual de Ordem Política e Social (Deops), no Memorial da Resistência, em São Paulo.A mostra, segundo a coordenadora da unidade de preservação do patrimônio museológico da Secretaria de Estado de Cultura, Claudinéli Ramos, é composta por fotos da época e documentos do Arquivo do Estado. ?A ideia é trazer de volta ao público informações importantes sobre o edifício e as memórias que ele abriga, como o cotidiano das celas.?Círculo Fechado mostra como os imigrantes de origem nipônica eram perseguidos e vigiados durante a 2ª Guerra. Um dos documentos exibidos, por exemplo, é a carta de um japonês endereçada à polícia. Na correspondência, a pessoa pede autorização para se mudar de casa, pois até isso era controlado pelo Estado.Além da exposição, as pessoas também podem visitar o espaço do Memorial da Resistência e conhecer as celas usadas pela polícia política da época. ?Temos uma parceria com o Fórum de ex-presos Políticos e Perseguidos do Estado de São Paulo, que vão promover atividades no local, como debates e palestras.? Os passeios podem ser agendados pelos telefones (11) 3324-0943. As informações são do Jornal da Tarde.Exposição Círculo Fechado. Largo General Osório, 66 (Memorial da Resistência). Horário de visitação: terça a domingo, das 10h às 17h30. Entrada: gratuita. A mostra é mais recomendada para maiores de 12 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.