Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Exposição no Metrô de São Paulo lembra 18 anos da morte de Ayrton Senna

Totalmente interativa, a mostra 'Senna Emotions' será inaugurada nesta terça-feira

Felipe Tau, Jornal da Tarde

01 de maio de 2012 | 09h53

A morte de Ayrton Senna completa nesta terça-feira, 1º, 18 anos. E será lembrada com a abertura da exposição Senna Emotions, na Estação República do Metrô. De caráter multimídia, a mostra se vale de tecnologia e interatividade para falar da vida e da carreira do tricampeão mundial de Fórmula 1.

Considerada pelo Instituto Ayrton Senna uma das exibições mais importantes já feitas sobre o piloto, a instalação ocupa um espaço de 200 metros quadrados e pode ser vista gratuitamente pelos usuários do Metrô - depois das roletas, com acesso pela plataforma de embarque.

São seis áreas temáticas, mostrando os episódios mais marcantes da trajetória de Senna, seu estilo de dirigir, os bastidores da Fórmula1, suas principais corridas e sua contribuição para o esporte. A divisão dos setores alude às varias etapas de uma prova de automobilismo: Pole Position, Largada, Circuito, Pit Stop, GP Brasil e Podium e Legado.

O gerente de marketing do Instituto Ayrton Senna, Irineu Villanueva, garante que nunca uma mostra sobre o corredor empregou tanta tecnologia. “Já fizemos exposições maiores sobre ele, mas esta é a primeira totalmente interativa”, diz. “É uma forma de promover o legado que o Ayrton deixou para o País.”

 

Uma das maiores atrações fica no setor Pit Stop. Com uma tecnologia chamada ‘video mapping’, um equipamento permite que o visitante acione um botão e veja um carro cenográfico se transformar nos carros das quatro equipes em que Senna correu na Fórmula 1: Toleman, Lotus, McLaren e Williams. O espaço também abriga objetos do piloto, como o capacete usado na conquista do tricampeonato, em 1991, no circuito de Suzuka, no Japão.

Na ala Pole Position, o público poderá conhecer detalhes da vida e da carreira do esportista, contados em vídeos por outros pilotos e personalidades do automobilismo. A escolha de cada depoimento é feita por gestos, à distância, por um sistema de sensores que captam o movimentos.

A mesma tecnologia está disponível na sala Circuito. Por meio de gestos, é acionado um livro que simula um álbum antigo de fotos, com o desempenho de Senna em todas as categorias em que correu. Na sala GP Brasil, quem for à exibição poderá ver de perto o troféu da primeira vitória do ídolo no País, em 1991.

O último espaço, Podium e Legado, dá ao público a chance de sentir o gostinho de ser campeão de Fórmula 1. Por meio da tecnologia de realidade aumentada, o troféu do GP Brasil aparece virtualmente nas mãos do visitante, que poderá fazer fotos e mandá-las por e-mail e compartilhá-las com amigos. Também será possível a todos gravar um depoimento em vídeo sobre Senna. Os melhores serão exibidos ao longo da própria exposição, ou no site do Instituto Ayrton Senna.

Senna Emotions

De hoje a 3 de junho na Estação República do Metrô. Das 11h às 20h. Grátis (mas é preciso estar dentro da estação)

Tudo o que sabemos sobre:
Ayrton SennaMetrôexposição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.