Exposição em São Paulo traz o realismo de Lasar Segall

Abre amanhã para o público a exposição Segall Realista, na Galeria de Arte do Sesi, na Avenida Paulista, região central de São Paulo. A mostra reúne 146 obras entre telas, esculturas, desenhos e gravuras do russo que se radicou no Brasil, Lasar Segall (1891-1957). A primeira obra que o visitante vê, logo na entrada, é uma síntese dos vários caminhos percorridos por Segall até 1926, ano em que expôs em Berlim obras produzidas no Brasil, logo após conhecer os modernistas de 1922. Trata-se de Morro Vermelho. Mostra uma negra com o filho no colo, tendo ao fundo uma paisagem tropical. As obras dessa primeira fase brasileira - anos 1920 - atestam, segundo o professor e historiador Tadeu Chiarelli, a aclimatação do pintor a uma situação mais realista. O realismo sintético de suas figuras de negros, diz Chiarelli, ''atesta que Segall não ignorava a produção de outros artistas que em São Paulo tentavam constituir uma arte brasileira, ao mesmo tempo moderna e ''brasílica''''. O museu Lasar Segall acaba de completar 40 anos com um acervo de 3 mil obras. Ele produziu praticamente o dobro, mas isso só vai se saber quando o catálogo raisonée for lançado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE, Agencia Estado

28 Janeiro 2008 | 12h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.