Exposição em Nova York traz destroços e fotos de 11 de setembro

Uma nova exposição sobre o 11 desetembro não perde tempo: já na entrada da galeria, prende aatenção dos visitantes com duas portas de carro de bombeiros eum pedaço de trem de pouso. Os itens tirados dos destroços da catástrofe sãoacompanhados por 1.500 fotos e depoimentos filmados desobreviventes, oferecendo maneiras de recordar um acontecimentoque ainda está marcado com força na cabeça dos nova-iorquinos. A exposição da Sociedade Histórica de Nova York, "here isnew york: remembering 9/11", será aberta na terça-feira, nosexto aniversário dos ataques de 11 de setembro de 2001, eficará até o final do ano. A mostra acontece separadamente da cerimônia oficial, queserá mais comedida que a do ano passado, que teve a presença dopresidente George W. Bush. Este ano, o evento principal será realizado fora do localdo World Trade Center, pela primeira vez, devido à construçãoque está sendo erguida no local. Mas muitas pessoas não querem se desfazer das memórias. "As pessoas estão se esquecendo do 11 de setembro, e eutenho a impressão de que vai acontecer de novo, que haveráoutro ataque", disse Joanne Capestro, que escapou do 87o andarda torre norte do World Trade Center e é vista nos depoimentosem vídeo. "Esta exposição me dá uma sensação de cura", afirmou. "Esteano será o primeiro em que eu vou voltar a trabalhar no dia11." Alguns itens parecem obras expostas num museu de artemoderna: uma viga mestre retorcida, um pedaço de fachadadobrado, uma persiana mutilada. Stephen Edidin, curador da exposição ao lado de MarilynKushner, declarou que todos os destroços carregam pesoemocional, mas não são obras de arte. "Vivemos num período de modernismo em que as pessoas vêemobjetos abstratos e os reconhecem como esculturas. O méritoartístico nos atrai, mas o que há aqui não é uma obra de arte.É outra coisa, e torna-se ainda mais poderosa", afirmouEdidin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.