Exposição em Londres celebra cultura indígena do Brasil

Mostra reúne 80 fotos feitas em 48 aldeias durante expedição no rio Xingu

BBC Brasil, BBC

09 Outubro 2007 | 11h15

Uma exposição com fotos de tribos que habitam na maior reserva indígena do Brasil, às margens do rio Xingu, será aberta nesta terça-feira, 9, na Embaixada do Brasil em Londres. As imagens, da fotógrafa britânica Sue Cunningham, foram feitas durante a expedição Projeto Xingu: No Coração do Brasil, em que Sue e o marido, Patrick Cunningham, navegaram 2,5 mil quilômetros do rio em um barco pequeno. "Com essa exposição eu quis mostrar a realidade dos povos indígenas no Brasil", disse Sue Cunningham à BBC. "Quis mostrar que eles existem, que têm uma cultura muito forte, que, sim, ainda dançam nus, cantam nus, estão em harmonia com a floresta, querem permanecer na floresta e querem que a gente os deixe em paz." Cunningham nasceu na Inglaterra mas foi morar no Brasil aos 12 anos de idade. Ela explicou que estava cansada de ver imagens que mostram o índio como vítima. "Eu quis mostrar o índio alegre, como ele é quando a gente dá um apoio para que ele permaneça na floresta", disse. "Afinal, são eles que sustentam a floresta. Se eles não estão na floresta, a motosserra vem, para plantar soja, para tirar madeira, vem o garimpeiro, o que for". A exposição No Coração do Brasil inclui 80 fotos feitas em 48 aldeias e uma instalação. Elas mostram vários momentos do cotidiano dos índios, entre eles, festivais comemorando o fim da estação chuvosa e funerais. Cunningham disse que um outro objetivo importante do evento é alertar o mundo sobre os planos do governo brasileiro de construir hidrelétricas na região. "Em todas as aldeias que visitei os índios me pediram, imploraram, que eu botasse a boca no mundo e falasse dessa ameaça. Eles estão apavorados e não querem que as hidrelétricas sejam construídas". Há planos para a construção de duas grandes hidrelétricas - entre elas, a de Belo Monte, em Altamira - e de seis hidrelétricas menores, estas últimas, em cada uma das seis cabeceiras do Xingu. "Algumas aldeias vão ser inundadas e outras vão ficar secas porque o rio vai ser desviado", disse Cunningham. "E muitos dos índios não caçam. Eles vivem da pesca. Só caçam em algumas ocasiões especiais e nunca indiscriminadamente". O projeto de construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, previsto para começar em 2011, tem sido alvo de grande debate entre facções favoráveis e contrárias à obra. A exposição No Coração do Brasil vai até o dia 18 de outubro na Galeria 32, na embaixada do Brasil. No último dia do evento, algumas das fotos serão leiloadas para fins beneficentes.

Mais conteúdo sobre:
Sue Cunningham fotografia índio Xingu

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.