Experiências teatrais e de vida ganham versão literária

Experiências teatrais e de vida que não se contiveram em permanecer apenas nos palcos ganharam sua versão para leitura em dois lançamentos recentes. O premiado espetáculo "Luís Antônio - Gabriela", em que o ator e diretor Nelson Baskerville conta o relacionamento dele e da família com seu irmão transexual virou livro homônimo. Já a publicação "Lume Teatro - 25 Anos" resgata, por meio de fotografias e histórias, a trajetória do grupo campineiro.

AE, Agência Estado

08 Outubro 2012 | 11h50

A peça "Luís Antônio - Gabriela", ainda em cartaz, como o próprio Baskerville afirma, foi um pedido de perdão do diretor pelo abandono do irmão, oito anos mais velho, morto em 2006. "É a minha via de escape. A arte é meu meio, é por onde eu me expresso", diz ele, também autor do livro.

A publicação retoma histórias que entraram na peça e outras memórias, em capítulos fora de ordem cronológica. Um garoto com alma feminina, Luís Antônio, ou Tônio, ou Bolota, nascido em 1953, foi adotado por uma família conservadora de Santos, formada pela união de dois viúvos e seus respectivos filhos - Baskerville era o caçula entre os nove.

Em resumo, por conta da sua homossexualidade, Luís Antônio era vítima do preconceito dos moradores da cidade litorânea e da rejeição dos familiares. Nos anos 1980, ele partiu para a Espanha, onde adotou a persona de Gabriela, apresentando-se em shows de travestis. A última vez que Baskerville teve contato com o irmão foi 12 anos antes de sua morte e após muitos anos sem encontrá-lo, para tratar do espólio do pai.

O livro surgiu a partir de um convite do diretor da editora nVersos, Júlio César Batista, que havia assistido ao espetáculo. Assim como na versão teatral, o autor, em um tom confessional, não esconde situações desagradáveis acontecidas em família. Não se priva também de contar o episódio em que, na infância, foi vítima de abuso pelo adolescente Luís Antônio. Vale destacar também o projeto gráfico dos designers Bruno Romão, Erica Caneto e Julia Marçal, que mistura fotos do espetáculo e desenhos de corpos nus de autoria de Thiago Hattnher.

Almanaque - Para celebrar duas décadas e meia, em 2010, a companhia Lume Teatro tinha o sonho de fazer um livro com fotografias ilustrando o trabalho do grupo, fundado em Campinas pelo ator e diretor Luis Otávio Burnier (1956-1995). Mas, vendo uma imagem aqui, puxando outro registro dali, sempre vinham histórias por detrás das fotos à lembrança dos sete atores da formação atual e ficou irresistível contá-las.

O resultado é uma espécie de almanaque que conta cronologicamente a história do Lume, dando espaço também para depoimentos colhidos pela jornalista Carlota Cafiero, cuja segunda reimpressão saiu recentemente, para consertar erros gráficos da tiragem anterior. Como tudo no grupo é feito colaborativamente, todos os atores - Ana Cristina Colla, Carlos Simioni, Jesser de Souza, Naomi Silman, Raquel Scotti Hirson, Renato Ferracini e Ricardo Puccetti - contribuíram para a obra, que acabou por não ter um autor. As informações são do Jornal da Tarde.

LUÍS ANTÔNIO - GABRIELA

Editora nVersos

Preço: R$ 55

LUME TEATRO - 25 ANOS

Editora Unicamp

Preço: R$ 40

Mais conteúdo sobre:
teatro livro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.