Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Expectativa é de que Nabil Bonduki assuma Secretaria Municipal da Cultura de São Paulo

Seu nome pode ser anunciado nesta terça-feira

Jotabê Medeiros, O Estado de S. Paulo

13 Janeiro 2015 | 03h00

Um dos grandes segredos do governo Dilma Rousseff virou um sarro explícito do ministro Juca Ferreira. “O ministro Gabas já me convidou para um passeio de moto”, disse Ferreira, referindo-se às furtivas escapadas da presidente Dilma na garupa da motocicleta do ministro Carlos Gabas, fato que foi revelado pela imprensa em 2013.

A crônica política clandestina abasteceu grande parte dos bastidores da festa. Ele também revelou a história de como foi a uma reunião de sambistas em São Paulo e de como um músico se postou estrategicamente atrás dele para tirar sarro. “É bom de bico”, dizia, sacaneando o político, para deleite da plateia. Ele não estava vendo, e demorou para conseguir responder ao detrator.

Toda a família do ministro estava presente à solenidade, menos uma pessoa: seu filho de quatro anos. “Ele iria achar muito maçante essa cerimônia”, disse. A posse era de Juca, mas havia também a expectativa em Brasília de que, até esta terça-feira, seja confirmado o nome do seu sucessor em São Paulo: o arquiteto e vereador Nabil Bonduki.

A confirmação também sacramenta o nome de Alfredo Manevy, atual interino, como provável novo diretor da recém criada SP Cine, empresa estatal de fomento ao cinema da Cidade de São Paulo. A escolha de Nabil não foi fácil, vários outros nomes postulavam o cargo, incluindo o da cantora Lecy Brandão, do PC do B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.