Exotismo com tragédia

Dois diretores espanhóis, Enric Bach e Adriá Monès, assinam o documentário Domingo em Brazzaville, sobre a cidade do antigo Congo Belga que foi considerada a mais violenta do mundo em 2002. Mas eles não querem dar conta dessa violência, ou não querem fazer do seu filme somente o registro disso. Com base na figura de um radialista, escolhem o programa de rádio - e o dia de domingo - para resgatar um punhado de personagens muito curiosos.

O Estado de S.Paulo

27 de março de 2012 | 07h45

Você vai conhecer os sapeurs, que, mesmo atolados em miséria, lançam moda com suas roupas extravagantes, vistosos paletós cor-de-rosa com flores e lenços incrustados na lapela. O mais exótico desses personagens talvez seja o campeão de luta livre, Palmas Yaya, que credita suas vitórias à força do vodu, aplicada contra seus oponentes.

Não mais o exotismo, mas a tragédia persegue os personagens de Amargas Sementes, do indo-norte-americano Micha X. Peled. Desde 1997 - e ao longo destes 15 anos -, mais de 20 mil plantadores indianos se mataram por causa de dívidas que contraíram ao comprar sementes de uma marca (Monsanto). Peled usa o fato para dar seu testemunho sobre o mundo atual, em que a Índia, considerada uma das economias emergentes, pratica um capitalismo selvagem, inspirado em modelos neoliberais que pensam em números, nunca em pessoas. / L.C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.