Reprodução
Reprodução

Exemplar raro de revista de 1836 foi roubado, diz Correios

Segundo a empresa, edição da Nitheroy estava em carga levada na Via Dutra

Jotabê Medeiros, O Estado de S. Paulo

18 de janeiro de 2012 | 22h00

Atualizado às 12h35

Más notícias. A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (EBCT) informou ao sebo O Alfarrabista de Vila Mendonça que o exemplar raro da revista Nitheroy, de 1836, desaparecido após ser enviado via Sedex no dia 27 de dezembro, "foi alvo de roubo praticado por meliantes", e que a indenização ao cliente será a que prevê seu regulamento: R$ 70,70.

Segundo a Assessoria de Imprensa dos Correios, a revista estava em uma carga da empresa que foi roubada em ação criminosa por na Via Dutra. Os Correios dizem lamentar o ocorrido, mas foi algo que não teve relação com extravio de correspondência e que foi registrado um Boletim de Ocorrência do fato.

A revista, que contém o manifesto inicial do Romantismo brasileiro, seria destinada ao livro Poesia.br, coordenado por André Vallias, que a Azougue Editorial prepara há dois anos. O editor Sergio Cohn, da Azougue, a adquiriu por R$ 1,5 mil. Ele conseguiu comprar mais de cem livros e revistas raras em primeira edição, para ilustrar com fac-símiles e documentos, e pretendia que o lançamento fosse conciliado com as comemorações dos 90 anos da Semana de Arte Moderna. Também haverá uma exposição.

Entre a centena de livros que Cohn conseguiu reunir em suas primeiras edições, estão La Divina Incrienca (Juó Bananere), Pau Brasil (Oswald de Andrade), Cobra Norato (Raul Bopp), O Curupira e o Carão (Menotti del Picchia, Cassiano Ricardo, Plínio Salgado), Ariana, a Mulher (autografado por Vinicius de Moraes), O Engenheiro (João Cabral de Melo Neto), Sapato Florido (Mario Quintana) e Ode Fragmentária (Hilda Hilst), entre outros.

Entre as revistas, haverá primeiras edições da Klaxon, Terra Roxa, Arco e Flexa, Orfeu, Noigrandes, Revista de Antropofagia e Boletim de Ariel, entre outras.

A documentação sobre o desenvolvimento histórico da poesia brasileira, em Poesia.br, será complementada com entrevistas com 75 jovens poetas brasileiros contemporâneos e 75 autores mais "clássicos", escolhidos de forma descentralizadas (por cinco regiões e mais cinco áreas temáticas), e abrangendo poesia digital, poesia e performance, etnopoesia, poesia e música, poesia e artes visuais. O projeto também prevê 74 videopoesias de um minuto, além de dois encontros anuais de poesia. O valor do projeto, publicado no Diário Oficial da União em 19 de janeiro passado, é de R$ 1,5 milhão, mas aguarda recursos federais.

A JÓIA

A revista Nitheroy foi publicada em Paris em 1836. Tinha como artífices Gonçalves de Magalhães, Manuel de Araújo Porto Alegre e Francisco de Sales Torres Homem e analisava o quadro econômico, político, científico, social e cultural do Brasil das primeiras décadas do século 19. Teve apenas dois números. O artigo de Magalhães que gerou o Romantismo propunha a existência, ao longo da história da jovem literatura brasileira, de um "instinto oculto".

Tudo o que sabemos sobre:
CorreiosNitheroyliteratura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.