Executivos de jornal da China confessam ter extorquido dinheiro de empresas

Executivos do site de um respeitado jornal de negócios chinês confessaram na televisão estatal terem extorquido “grandes somas” de empresas em crise para evitar a publicação de reportagens críticas.

REUTERS

11 Setembro 2014 | 11h01

No mês passado, a agência de notícias oficial Xinhua relatou que oito suspeitos, incluindo os que trabalham no jornal 21st Century Business Herald e em duas empresas de relações públicas, estavam sob investigação.

Liu Dong, presidente do site do periódico, e Zhou Bin, editor-chefe da página, conspiraram com outros colegas e com duas empresas de relações públicas do setor financeiro para solicitar dinheiro de empresas prestes a quebrar ou a serem reestruturadas, informou a Xinhua nesta quinta-feira.

Os dois executivos apareceram no canal estatal China Central Television vestindo roupas laranjas típicas de prisioneiros e confessando os crimes.

É frequente a mídia chinesa condenar pessoas antes que tenham sido sequer acusadas dos crimes, e muito menos comparecido a um tribunal, o que diminui as perspectivas de um julgamento justo.

Liu e Zhou foram postos sob custódia na semana passada, assim como um gerente de propaganda e um repórter. Dois executivos das empresas de relações públicas do setor financeiro Roya Investment Services Limited, sediada em Xangai, e Nukirin Investment Advisory, da cidade de Shenzhen, no sul da China, também foram detidos.

(Por Megha Rajagopalan)

Mais conteúdo sobre:
MIDIA CHINA EXTORSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.