Executiva da Sotheby´s é condenada

Diana Brooks, ex-executiva principal da casa de leilões Sotheby´s de Nova York, foi condenada nesta-segunda-feira a seis meses de prisão domiciliar pelo papel que desempenhou no esquema de superfaturamento de comissões e taxas em conluio com a Christie´s, tradicional concorrente da Sotheby´s. O esquema inviabilizava a atividade de outras casas de leilão além das duas e violava a legislação antitruste.Brooks, a primeira mulher a chefiar uma grande casa de leilões e, por muitos anos, uma das pessoas mais poderosas do mercado de arte, também terá de pagar multa de US$ 350 mil e cumprir mil horas de trabalho comunitário. Ela foi condenada uma semana depois de seu ex-chefe, A. Alfred Taubman, que era o presidente da Sotheby´s, ser sentenciado a um ano de prisão e a pagar multa de US$ 7,5 milhões por causa do mesmo esquema de fixação de preços, que vigorou nos bastidores durante quase dez anos.Enquanto estiver em prisão domiciliar, Brooks estará submetida a monitoramento eletrônico por meio de uma pulseira que rastreará seus passos.Embora a tenha poupado de uma condenação mais severa, o juiz George Daniels disse no tribunal que Brooks é uma "típica criminosa de colarinho branco". Antes de ouvir a sentença, a ré, com voz trêmula, pediu desculpas a pessoas que ela tenha "magoado". "Eu carregarei para sempre o fardo do que eu fiz", afirmou.Brooks se declarou culpada há dois anos e colaborou com a promotoria na acusação a Taubman. Ela testemunhou contra ele e conseguiu com isso evitar uma condenação a três anos de prisão. "Embora sua decisão de colaborar tenha sido correta, não foi um gesto nobre motivado por uma consciência culpada", disse o juiz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.