Exames

Doutor - Seu Aureliano, tendo em vista os exames de check-up que o senhor realizou, posso afirmar com toda a certeza: o senhor não tem absolutamente nada.

FÁBIO PORCHAT,

01 Setembro 2013 | 02h19

Aureliano - Nada?

Doutor - Nada.

Aureliano - Nada sério o senhor quer dizer, não é?

Doutor - Nada. Nem sério nem nada. Nada.

Aureliano - Mas e o incômodo no abdômen, a suspeita de cálculo renal?

Doutor - Nada.

Aureliano - Não é possível. Nem uma virose, uma bactéria?

Doutor - Nada.

Aureliano - Eu sabia que não devia ter vindo aqui.

Doutor - Mantenha a calma, seu Aureliano.

Aureliano - O senhor é uma fraude.

Doutor - Mas, seu Aureliano...

Aureliano - O senhor quer que eu saia daqui sem nenhuma receita?

Doutor - Pra que receita? O senhor está ótimo.

Aureliano - Com que cara eu vou sair daqui?

Doutor - Cara?

Aureliano - Que o senhor fique sabendo que, no momento em que eu passar por aquela porta, eu nunca mais voltarei aqui.

Doutor - Vamos torcer para que não, seu Aureliano.

Aureliano - Que audácia. Eu vou levá-lo aos jornais.

Doutor - Seu Aureliano...

Aureliano - Gripe!

Doutor - Como?

Aureliano - Gripe. Não é possível que eu não esteja nem com um princípio de gripe.

Doutor - Não há nem sinal.

Aureliano - Afta.

Doutor - Não.

Aureliano - Uma frieira.

Doutor - ...

Aureliano - Não é possível.

Doutor - Seu Aureliano, ser saudável é bom.

Aureliano - Será? Eu já estou começando a me sentir mal.

Doutor - Isso é psicológico.

Aureliano - Um problema psicológico?

Doutor - Pode ser.

Aureliano - Aha! Então há um problema.

Doutor - Isso não é um problema.

Aureliano - Mas pode ser.

Doutor - Poder pode, mas...

Aureliano - Me sinto até mais aliviado.

Doutor - Mas não há nada que indique isso.

Aureliano - Mas há uma possibilidade.

Doutor - Uma possibilidade, sempre há.

Aureliano - Até o incômodo no abdômen passou.

Doutor - Mas nunca houve nada...

Aureliano - O que eu tenho tem cura?

Doutor - Não é uma questão de ter ou não...

Aureliano - O que eu preciso evitar de fazer, comer...?

Doutor - Não tem nada assim muito...

Aureliano - Não importa, o que importa é que eu estou mal.

Doutor - O senhor não está...

Aureliano - Obrigado doutor. Muito obrigado.

Doutor - De nada, mas...

Aureliano - Me desculpe qualquer coisa, é que eu estou com uns problemas psicológicos e... Ah, o senhor sabe.

Mais conteúdo sobre:
FÁBIO PORCHAT

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.