Reuters
Reuters

Ex-mulher de McCartney diz que foi grampeada pelo jornal 'Mirror'

Heather Mills declarou em entrevista que teve seu telefone monitorado por um jornalista da editora que publica o tabloide 'Daily Mirror'

Mohammed Abbas, com reportagem adicional de Olesya Dmitracova e Georgina Prodhan, REUTERS

03 de agosto de 2011 | 17h31

LONDRES (Reuters) - Heather Mills, ex-mulher do músico Paul McCartney, declarou em entrevista publicada na quarta-feira que teve seu telefone espionado por um jornalista da editora Trinity Mirror, que publica o tabloide Daily Mirror, antes que ela se casasse com o ex-Beatle.

Heather disse à BBC que o jornalista apresentou a ela, "ipsis literis" mensagens telefônicas deixadas por McCartney. "Eu me perguntava por que elas foram ouvidas, escutadas, quando (o jornal) diz 'mensagens ouvidas'", disse Mills.

O jornalista então teria admitido o grampo telefônico, e concordado em não usar as mensagens nas suas reportagens. Ela e McCartney se casaram em 2002, e se separaram quatro anos depois.

A denúncia ecoa as acusações de que um jornal rival, o News of the World, espionou as caixas postais telefônicas de milhares de pessoas na Grã-Bretanha, num escândalo que abalou o império midiático do empresário Rupert Murdoch -- que decidiu fechar o tabloide -- e envolveu também a polícia e o governo.

Tudo o que sabemos sobre:
MIDIAMCCARTNEYGRAMPO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.