Ex-garçonete é julgada por roubo de obras de arte

A francesa Stephane Breitwieser, uma ex-garçonete de 33 anos, foi a julgamento hoje pela acusação de ter roubado dezenas de obras de arte de museus através da Europa avaliadas em mais de um bilhão de euros (cerca de R$ 3,7 bilhões).Stephane, cuja mãe também está sendo processada por roubar algumas obras e jogá-las num canal fluvial, já cumpriu pena na prisão na Suíça por uma outra acusação. O advogado da acusada, Joseph Moser, negou que ela quisesse enriquecer com os roubos. "Trata-se de pura paixão pela arte em sua mais pura forma", afirmou. "Não havia desejo pelo lucro".Stephane foi extraditada da Suíça para a França em julho. Na Suíça, ela havia sido sentenciada a quatro anos de prisão depois de ter admitido o roubo de 239 telas e peças de museu. O quadro mais valioso roubado por ela é Sybille, Princes of Cleves, pintado por Lucas Cranach, avaliado entre US$ 7,9 milhões e US$ 9 milhões. A obra foi roubada do museu de Baden-Baden, Alemanha, em 1995.A francesa, cuja família é proveniente da região leste da França, poderá receber uma sentença de até três anos de prisão pelo roubo de 23 obras de arte na França, mais duas na Dinamarca e uma na Áustria. Promotores da França, onde as obras mais valiosas foram roubadas, estimam o valor total dos roubos em um bilhão de euros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.