Ex-baixinho cuida de chacoalhar a antiga tradição

TROMBONE SHORTY

Jotabê Medeiros, O Estado de S.Paulo

08 de maio de 2010 | 00h00

BACKATOWN

Verve Preço: U$ 10

BOM

O baixinho cresceu. Em New Orleans, sua terra, o trombonista Trombone Shorty (foto) tem sido acusado de "trair a tradição", especialmente em seu último disco, Backatown. Produzido por Ben Ellman, do famoso grupo Galactic, o álbum mistura jazz, rock e R&B e de fato é moderno (a faixa Suburbia traz rasgos de guitarras distorcidas), mas é impossível não notar que é algo que vem da essência de New Orleans. Por conta da participação de Lenny Kravitz (o qual ele já integrou banda) em Something Beautiful, o tom de "traição" parece mais forte. Mas o disco estrelado (tem alinda Allen Toussaint em On Your Way Down, e Marc Broussard em Right to Complain) não trai o maior princípio de um artista: a inquietação. Aos 23 anos, Toy Andrews (é o nome real de Shorty; o apelido, "Baixinho", vem do início da carreira, quando era menino entre profissionais) experimenta o sabor do sucesso enquanto cuida de contornar os olhares desconfiados dos colegas. /

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.