Evento revê a luz de "Vestido de Noiva"

Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues, é considerada o marco inicial do teatro moderno brasileiro, entre outras coisas, pelas inovações de iluminação feitas em sua montagem pelo polonês Ziembinski em 1943. A peça é tema do evento Luz em Cena - Vestido de Noiva e a Modernidade no Teatro Brasileiro, que se realiza no Itaú Cultural amanhã e quarta-feira.Nesta terça, haverá uma conferência com o consultor de cenografia e iluminação Fernando Pamplona, que falará sobre a reconstituição da montagem original de Vestido de Noiva em 1976, feita por ele, Ziembinski e Nelson Rodrigues. O cenário original foi criado por Santa Rosa, que morreu em 1974. Haverá ainda a apresentação da maquete virtual da iluminação de algumas cenas da primeira montagem da peça, que os internautas já podem conhecer no site www.itaucultural.org.br. A criação é do Núcleo de Mídias Interativas do Itaú Cultural sobre pesquisa iconográfica do Núcleo de Artes Cênicas. Nesta mesma noite, o crítico e dramaturgo Edélcio Mostaço discutirá os principais momentos da iluminação teatral moderna e sua relação com a arquitetura cênica. Na quarta, serão apresentadas três leituras dramáticas de cenas de Vestido de Noiva, com dez minutos cada, dirigidas por Eduardo Tolentino, Márcio Aurélio e Luiz Arthur Nunes, que já montaram a peça, só que com efeitos de luz diferentes da montagem original. Tolentino, que montou a peça em 1994 com o Grupo Tapa e usou espelhos para diferenciar os planos da história - realidade, memória e alucinação -, dirige Zécarlos Machado, Clara Carvalho e Denise Weinberg. Márcio Aurélio, que usou um palco vazio, em 1987, fez as diferenciações usando a iluminação. Ele dirige Denise Del Vecchio, João Vitti, Alzira Andrade e Christiane Rando. Luiz Arthur Nunes, que foi fiel ao texto, mas não à montagem, em 1993, quando se comemorava os 50 anos da primeira montagem, dirige Bianca Byngton, Luciana Braga e Suzana Saldanha. Segundo Sílvia Fernandes, consultora de Artes Cênicas do Itaú Cultural, um dos trechos que certamente será lido é a cena final de Vestido de Noiva, em que Alaíde, a personagem principal, entrega um buquê para sua irmã, Lúcia. Durantes as leituras, haverá iluminação e figurino. Após a leitura, Edélcio Mostaço conduz um debate sobre a iluminação da peça e todas as suas montagens. "O bacana do projeto é que é um resgate da história, mas com um olhar contemporâneo", explica Sílvia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.