Evento no Rio incentiva a leitura entre as crianças

Começa hoje e vai até o dia 26 o 6.º Salão do Livro para Crianças e Jovens, organizado pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, a FNLIJ, no Rio, no Galpão das Artes do MAM. A aposta dos organizadores está em formar leitores. Por isso, só entram obras de literatura, sem espaço para os didáticos. Outro diferencial do salão, que tem apoio da Petrobrás e da Prefeitura do Rio, é a aposta na leitura, pura e simples. "Não criamos eventos paralelos, como espetáculos e mímicas, a não ser espaços para que as crianças e os jovens possam tomar um contato maior com os livros", diz a secretária Geral da Fundação, Elizabeth Serra. O salão oferece atividades diversificadas. A começar pelas performances de diversos ilustradores que desenham painéis na frente do público, utilizando diferentes formas. Segundo Elizabeth, a idéia é valorizar o trabalho dos ilustradores. As 47 editoras presentes preparam o lançamento de cerca de cem títulos, realizados no Espaço FNLIJ de Leitura. Esse é o momento da aproximação entre leitores e autores, que estarão à disposição para comentar suas obras e responder às perguntas da platéia. Entre tantos lançamentos, vale destacar a presença de Ana Maria Machado, Ruth Rocha, Júlio Emílio Braz, Daniel Munduruku, Antonio Torres, Katia Canton, Regina Drummond,Liliana e Michelle Iacocca, Angela Lago, entre outros nomes de talento. O jornalista Pedro Bial marca presença no dia 24, das 13 às 14 horas, no Espaço de Leitura, para ler quatro livros da série Contos de Andersen, que a Editora Melhoramentos lança no salão. Um dos destaques é a escritora Lygia Bojunga, que será a grande homenageada. Em 1982, a autora foi contemplada com o Prêmio Hans Christian Andersen e, recentemente, com o Astrid Lindgren Memory Award, concedido pelo governo sueco. Ela participará do salão com um estande da sua editora, a Casa Lygia Bojunga, e ainda lançará Encontro e conversará com os leitores. Também vale conferir um estande especial, o dedicado à literatura indígena para crianças. Haverá no local uma biblioteca com um acervo de 2 mil livros, aberta para o público visitante. Nos dias 20 e 21, na Cinemateca do MAM, ocorrem debates, seminários e mesas-redondas sobre o hábito da leitura, o livro infantil, entre outros temas. No dia 22, ocorrerá o 1.º Encontro de Escritores Indígenas para discutir O Direito Autoral e a Proteção dos Conhecimentos Tradicionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.