Evento celebra arte, mira o cinema e prepara exposição

A 37ª edição da São Paulo Fashion Week, que começa amanhã e segue até sexta, sinaliza a intersecção total do evento com a arte. "Moda é movimento. Olha o que as pessoas ainda não estão vendo. Arte também. Estamos olhando o futuro. Nesta edição e nas próximas", diz Paulo Borges, criador do evento.

O Estado de S.Paulo

30 de março de 2014 | 02h12

A escolha do tema da semana diz respeito à arte não só por meio do tema escolhido, a entropia, mas também por dialogar com eventos que ocorrem simultaneamente na cidade, como a SPArte (que ocupa a Bienal de São Paulo). "A primeira edição do SPFW foi em homenagem ao Portinari. E esta edição é no Parque Portinari. Desde então, falamos de arte, cultura. A moda e a arte vêm no sentido de que neste ano vivemos uma transversalidade. Tudo se comunica. A moda e a arte sempre questionam os processos, os momentos, propõem coisas novas. Por isso, transformamos a SPFW em uma grande galeria de fotografia."

Para ser curador da exposição Paisagem Entrópica, Borges convidou Eder Chiodetto, que selecionou oito artistas para ocupar com seus trabalhos as paredes da imensa tenda de 875 metros quadrados montada no parque. "Eles trabalham a foto de forma contemporânea e entrópica. É tudo que estamos vivendo."

A interseção da SPFW com a arte vem ao encontro dos planos do Ministério da Cultura. "O processo criativo no campo da moda tem uma ligação intrínseca com a arte. A pesquisa e a experimentação na concepção de artefatos são parte desse fazer artístico. A moda deve ser considerada como parte da 'área cultural'. O fato de se relacionar com o mercado e a indústria em alguma medida não a tira dessa condição. O evento é cada vez mais influente na cultura de moda do País", declara a ministra da Cultura, Marta Suplicy, que confirmou sua presença nesta edição.

Ao todo, a SPFW terá 32 grifes, além da marca de calçados Melissa e a infantil Lilica Ripilica. Entre destaques do line up, Gisele Bündchen desfila para a Colcci na quarta à noite e a Osklen traz pela primeira vez, em vez de um desfile, uma apresentação. Será um filme que Oskar Metsavaht e equipe prepararam no Centro de Arte de Inhotim.

Em paralelo, haverá palestras, workshops, exposições e desfiles em unidades dos CEUs da cidade. Além disso, um filme, em parceria com Mario Testino, unindo a paixão pelo futebol com a moda, também será lançado e exibido em um canal a cabo e em diversos veículos. Para completar, na quarta, às 21 horas, uma performance traz os looks da Ocupação Zuzu Angel, que entra em cartaz no Instituto Itaú Cultural a partir desta terça. "Será um desfile com 12 peças de roupas originais criadas pela Zuzu, com direção da estilista Karlla Girotto. Tem tudo a ver com a SPFW. O filme Zuzu Angel foi lançado no evento, Isabela Capeto e Ronaldo Fraga já homenagearam a Zuzu em desfiles, a relação é muito próxima."

Já para o futuro, os planos são promissores. Em outubro, o tema é Cinema. Em abril de 2015, a semana falará dos índios. "Vai falar da pintura e design do artesão indígena", adianta Borges. Em novembro de 2015, celebrando 20 anos de evento, haverá uma mostra sobre duas décadas de moda a partir do SPFW. "Será na Oca, com as mais importantes roupas desfiladas no evento. Vai ter o vídeo e a história das peças. O passado e o futuro unidos. Vai ser lindo." F.G. / M.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.