Evaldo Cabral e Zuenir Ventura concorrerão a vaga na ABL

O jornalista Zuenir Ventura e o historiador Evaldo Cabral de Mello vão oficializar esta semana suas candidaturas à sucessão de João Ubaldo Ribeiro na Academia Brasileira de Letras. Ubaldo morreu na última sexta-feira, 18. A sessão da saudade, que marca a abertura das candidaturas, seria na quinta-feira, 24, mas foi antecipada para esta quarta-feira, 23, por conta da mesa-redonda que celebrará o centenário do acadêmico Evaristo de Moraes Filho. Após a sessão, qualquer brasileiro nato com ao menos um livro publicado pode se inscrever para o pleito, pelo período de um mês. As eleições deverão ser em outubro ou novembro.

ROBERTA PENNAFORT, Agência Estado

22 de julho de 2014 | 15h49

A disputa deverá ser mesmo polarizada entre Zuenir, jornalista de 83 anos e autor de best-sellers como 1968: O Ano que Não Terminou e Cidade Partida, e Cabral, de 78 anos e considerado um dos maiores historiadores brasileiros vivos. O primeiro tem cabos eleitorais como Arnaldo Niskier e Merval Pereira; o segundo, Eduardo Portella e Alberto da Costa e Silva.

Os últimos eleitos tiveram mais facilidade: Antônio Torres, que entrou na vaga deixada por Luiz Paulo Horta (1943-2013), e Fernando Henrique Cardoso, que sucedeu João de Scantimburgo (1915-2013), concorreram apenas com candidatos nanicos, sem relevância nacional. Este deve ser o caso de Ferreira Gullar, cuja vitória é dada como certa na eleição para a cadeira de Ivan Junqueira, que morreu no último dia 3.

"Na última eleição, eu tinha resolvido me candidatar, mas como o Antônio Torres, que é meu amigo, estava disputando, eu retirei, pra abrir espaço para ele. Ubaldo era meu amigo, a morte dele foi um choque, então não quero me antecipar muito. Candidato não deve ficar dando entrevista", disse Zuenir.

"Encaro a concorrência naturalmente. Infelizmente, não tive o prazer de conhecer o Ubaldo", comentou Cabral, irmão do poeta João Cabral de Melo Neto (1920-1999), que foi da ABL. Ele não cogitou se candidatar na sucessão do irmão. "Eu não aceitaria. As vagas na ABL não são de família".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.