Eva Wilma festeja 50 anos de palco com monólogo

Para comemorar seus 50 anos de carreira, a atriz Eva Wilma buscava algo inspirador. Enquanto pensava, ela percebeu que determinados monólogos de alguns personagens que interpretou não lhe saíam da cabeça, apesar do passar do tempo. Eram diálogos clássicos, vigorosos, como os de Blanche Dubois em Um Bonde Chamado Desejo, Branca Dias em Santo Inquérito e Vladimir de Esperando Godot. "Eu ainda tenho os textos decorados, que ficaram vivos em minha memória", conta Eva que, ao narrar o fato para a escritora Edla van Steen, amiga de longa data, surgiu a inspiração para o espetáculo Primeira Pessoa, que estréia hoje, no Espaço Promon. Não se trata de um monólogo tradicional - Edla preferiu recriar os instantes que antecedem uma apresentação. Assim, o público acompanha a atriz em seus momentos de preparação. "São minutos preciosos para um artista, pois, como durante os ensaios, ele está muito sensível e ali se apresenta por inteiro", diz a escritora, que preferiu unir os monólogos que continuam na memória da atriz com poemas de autores como Carlos Drummond de Andrade, Fernando Pessoa e outros. "A idéia é revelar o interior da atriz por meio de seus personagens", comenta Edla. Primeira Pessoa é dedicado ao marido, o também ator Carlos Zara, morto em dezembro de 2002, depois de 25 anos de convivência. Ele está presente nas diversas imagens que são projetadas ao longo da encenação, além de sua voz surgir em momentos marcantes. "Tenho muitos vídeos da nossa convivência, desde novelas e peças até filmes caseiros." Para o diretor do espetáculo, William Pereira, o ?objetivo é criar mais a sensação provocada por uma poesia que por uma peça; por isso, a personagem principal é a própria Eva Wilma." Para evitar que apenas a atriz apareça em cena, Pereira convidou a pianista e cantora Vânia Pajares para a encenação. "Elas conversam em diversos momentos, estabelecendo um diálogo."Primeira Pessoa - No Espaço Promon, Avenida Juscelino Kubitscheck, 1.830. Telefone: 3847-4111. Sexta e sábado, 21h30; domingo, 19 horas. R$ 30 e R$ 40 (sábado). Até 26/9

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.