Eurochannel relembra Brigitte Bardot

Brigitte Bardot já havia feito 13filmes - Se Versalhes Falasse, de Sacha Guitry, As GrandesManobras, de René Clair, e Meu Filho Nero, de Steno, entreeles - quando Roger Vadim tirou sua roupa e fez dela um mitosexual em E Deus Criou a Mulher, em 1956. O mundo descobriuaquela mulher-criança que fazia beicinho para expressar desejo etrocava de homem como quem troca de roupa, anunciando umarevolução do comportamento que seria consolidada com a pílula,nos gloriosos anos 1960. É tempo de lembrar Brigitte. O Eurochannel, da TVA eDirecTV, promove amanhã a Noite Nostalgia - BrigitteBardot. Começa com o documentário A Estrela, a História, eprossegue com dois longas que serão exibidos em seqüência: oprimeiro é justamente As Grandes Manobras, que pertence àera pré-mito, e o outro, A Parisiense, de Michel Boisrond -que se chamava O Príncipe e a Parisiense ao passar noscinemas. Quando o segundo foi feito, BB já era um produto deexportação da França comparável ao champanhe, já que também elaera borbulhante e embriagadora. Brigitte faz um papel ainda pequeno em As GrandesManobras. A comédia clássica de Clair é centrada no personagemde Gérard Philippe, um galante oficial que pratica comdesenvoltura a arte da conquista amorosa. Em compensação, ela éa estrela absoluta de A Parisiense, no papel da filha doprimeiro-ministro da França que, insatisfeita com o marido, nacama - e ele é um adido militar -, arranja um amante duranteromântica estada na Riviera Francesa. Clair, o chamado príncipeda comédia francesa, virou saco-de-pancada dos críticos ligadosao movimento que passou à história como nouvelle vague. Boisrondtambém não se confundiu com o movimento; era, antes, um bomespecialista em comédias de boulevard. Dirigiu Brigitte váriasvezes e foi um dos responsáveis pela consolidação do mitolançado por Vadim ao dirigir a estrela em filmes como Mlle.Pigalle (anterior a E Deus Criou a Mulher, que pode serconferido em DVD), Quer Dançar Comigo? e AmoresCélebres. No Brasil, Norma Bengell virou estrela imitando BB emO Homem do Sputnik, chanchada de Carlos Manga com Oscarito.A própria Brigitte foi dirigida, a seguir, por autores comoLouis Malle (Vida Privada, Viva Maria e o episódio deHistórias Extraordinárias) e Jean-Luc Godard (ODesprezo). Em 1974, abandonou o cinema, após Colinot, de NinaCompanaez. Sem ligar para a aparência, envelheceu solta, comosempre viveu e hoje, quase septuagenária (nasceu em 1934),dedica-se a defender a natureza e os animais.Noite Nostalgia - Brigitte Bardot - Amanhã, noEurochannel. A Estrela, a História, às 21h30; As GrandesManobras, às 22h30; A Parisiense, à 0h15. (operadoras/ canais:TVA, 31; Directv, 657)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.