Eudora Welty pode ter obra inédita

A escritora Eudora Welty, morta aos 92 anos na semana passada, estava desde 1973 sem lançar material inédito. Mas, durante estes quase 20 anos, não deixou de escrever. Sua morte movimenta agora os meios literários. É grande a possibilidade dela ter deixado farto material aguardando publicação.Eudora foi um dos mais importantes nomes da literatura moderna - conhecida no Brasil por seu A Filha do Otimista, que lhe rendeu o Prêmio Pulitzer - e o único a ingressar ainda em vida na prestigiosa série Biblioteca da América. Qualquer trabalho póstumo levantará muito interesse.O auxiliar Daryl Howard, que cuidou de Eudora nos últimos dez anos, garante que ela passava bastante tempo trabalhando em sua máquina de escrever. "Mas nunca cheguei a ver o que era." Amigo íntimo da escritora, o escritor Reynolds Price sugeriu, ainda na semana passada, que a autora tenha deixado pelo menos um texto inédito, sobre as conseqüências de um estupro numa comunidade de professores. Mas também não chegou a ter o material em mãos.Se algum texto for encontrado, caberá ao antigo vizinho de Eudora, o também ganhador do Pulitzer Richard Ford, decidir sobre sua publicação. Embora diga não conhecer material algum, Ford não descarta a possibilidade de encontrar textos inéditos de Eudora.A decisão será arriscada. Obras póstumas, como O Processo, de Kafka, podem se revelar obras-primas da literatura. Mas correm o risco, como Verdade ao Amanhecer, de Ernest Hemingway, de manchar a reputação do autor - e à revelia deste. Seetha Srinivasan, que trabalhou com Eudora, lembra ter-lhe sugerido publicar textos inéditos que ela ainda guardava e ouviu um não. "Gentilmente, ela me disse que havia razões para nunca tê-los publicado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.