EUA negaram homenagem criadora de Harry Potter por temer bruxaria, diz livro

Acusação foi feita por ex-autor de discursos de George W. Bush.

BBC Brasil, BBC

30 de setembro de 2009 | 13h24

Um ex-autor de discursos do ex-presidente americano George W. Bush revelou que o governo dos Estados Unidos vetou uma homenagem à autora da série de livros sobre o mago Harry Potter, JK Rowling, porque alguns políticos achavam que ela incentivava a bruxaria.

Matt Latimer afirmou em seu livro Speechless: Tales of a White House Survivor ("Sem Fala: Contos de um Sobrevivente da Casa Branca", em tradução livre) que alguns integrantes do próprio governo Bush acreditavam que a escritora britânica promovia a feitiçaria nos livros.

Como resultado, Rowling nunca foi condecorada com a Medalha Presidencial da Liberdade.

A condecoração reconhece a contribuição dos agraciados para os interesses nacionais dos Estados Unidos, paz mundial ou esforços culturais.

"Pensamento limitado"

Entre os escritores que já receberam o prêmio estão John Steinbeck e Harper Lee.

No seu livro, Latimer escreve que o "pensamento limitado" levou a esta medida das autoridades da Casa Branca.

O autor afirma ainda que o governo Bush também negou a comenda a outras pessoas como, por exemplo, o senador democrata Edward Kennedy, que morreu em agosto deste ano.

Latimer alegou que o político veterano de uma das famílias políticas mais tradicionais e famosas dos Estados Unidos foi excluído da homenagem por ser considerado liberal demais. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.