Imagem Fábio Porchat
Colunista
Fábio Porchat
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Eu acho que...

Como é difícil dar uma opinião. Tem aqueles que discordam, tem aqueles que concordam. Tem aqueles que veem na sua opinião um crítica que você mesmo não viu. Tem aqueles que têm certeza de que você é de esquerda e aqueles que afirmam categoricamente que você é direitista.

FÁBIO PORCHAT, O Estado de S.Paulo

19 de janeiro de 2014 | 02h13

Tem aqueles que dizem que você é um alienado, que você é muito jovem, que você é branco, que você não é pobre, que você é um merda, que você é preciso em suas observações, tem aqueles que entendem tudo errado, tem aqueles que fazem uma análise completa de uma frase apenas, desvalidando todo o resto. Tem aqueles que acham que você não devia estar fazendo aquilo, tem aqueles que acham que você é uma revelação.

Tem aqueles que conseguem ver algo tão por trás daquilo que tem certeza que o que você está dizendo é exatamente o oposto daquilo tudo. E as pessoas acham tudo isso de uma só opinião. Há algumas semanas, eu disse aqui que eu acho que o Brasil dará conta da Copa do Mundo. Muita gente me disse que o Brasil é um país muito carente em educação e saúde. Eu tenho certeza disso. É um absurdo o que fazemos com nossas crianças e enfermos. Mas isso não invalida o fato de podermos realizar muito bem uma Copa do Mundo.

Ah, mas aqui a polícia é corrupta e os políticos roubam. Sem dúvida. E eu nunca afirmei o contrário. É que parece que se você disser que alguma coisa vai bem por aqui, as coisas que não vão bem invalidam tudo. Não é verdade. Se eu digo que o Brasil oferece gratuitamente o "coquetel" de tratamento de aids para a população, e isso é bom, você não pode contra-argumentar que o ensino fundamental é péssimo. Isso não é um contra-argumento, isso é outra informação.

Uma coisa é uma coisa a outra coisa é outra coisa. Sim, o ensino fundamental no Brasil é de péssima qualidade, mas o "coquetel" gratuito é uma coisa excelente. E eu não tô nem aí se o responsável por isso foi o Serra ou se o Quércia muito antes já havia sugerido isso para o Ulisses. Se o Lula propôs ao Jânio que levou até o Itamar. O que importa é que isso existe, é positivo e não pode ser anulado por conta de um dado ruim.

Me parece que está implícito pra qualquer cidadão brasileiro que o Brasil é um país de terceiro mundo, com vários problemas graves em todas as áreas e que nenhum governo consegue sanar isso. Temos sempre que expor nossos problemas e não mascará-los, justamente para corrigi-los.

Não acho que temos que só falar das coisas boas, mas temos que falar delas também. É muito bom morar no Brasil sim. O Brasil tem os problemas dele, como todos os outros países também têm. De terceiro e de primeiro mundo. Mas não podemos deixar as coisas ruins do nosso país anularem as coisas boas (que são muitas). Nem podemos deixar que as coisas boas dos outros países também anulem as coisas boas do nosso. Sempre vai ter alguém pior e alguém melhor.

Eu gosto de morar no Brasil apesar do Brasil e por causa dele, principalmente. Enfim, essa é só a minha opinião. * fabio.porchat@estadao.com

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.