Estúdios de Hollywood processam site chinês por pirataria

Cinco estúdios de Hollywood abriram umprocesso contra um serviço online e um Internet café chinesesque acusam de oferecer downloads pirateados de "Piratas doCaribe" e outros filmes de sucesso. A informação foi divulgadana quinta-feira pela mídia estatal chinesa. A Jeboo.com, de Pequim, e um Internet café em Xangai terãoque enfrentar na justiça a Twentieth Century Fox, Walt Disney,Paramount Pictures, Columbia Pictures e Universal Studios,informou a agência de notícias Xinhua. Os estúdios alegam que a Jeboo.com criou softwares usadospelo café para operar um negócio de download de filmes. Elespedem indenização de 3,2 milhões de iuans (432 mil dólares). A Jeboo.com se promove como sendo "meu cinema online" eafirma ser o maior provedor de downloads de filmes da China,dispondo de quase 30 mil filmes e seriados de TV que seusclientes podem copiar para seus computadores. Um comunicado postado no Jeboo.com diz que o site "obtémlegalmente" seus produtos de entretenimento, através de"parceiros fornecedores de conteúdo" que assinam contratos decopyright. A ação, que será julgada em Xangai, promete ser mais umabatalha de palavras e ameaças legais entre a China e os EUA,que dizem que a economia asiática não faz o suficiente paraimpedir a ação de piratas comerciais. Washington já se queixou junto à Organização Mundial doComércio, dizendo que as normas chinesas descuidadas permitiramuma indústria crescente em bens americanos pirateados,incluindo filmes e softwares, que custa bilhões de dólares aempresas americanas. DVDs piratas custam 1 dólar nas ruas chinesas, muito menosque as cópias legítimas vendidas em países ricos. E os Websites que oferecem downloads de produtos de entretenimento sãopopulares entre as dezenas de milhões de internautas chineses. Os estúdios dizem que o Jeboo.com e o café de Xangaidistribuíram 13 filmes sem autorização, incluindo "X-Men 2" e"Uma Noite no Museu". Outras companhias chinesas já processaram piratas chinesese ganharam as ações. Em setembro, alguns estúdios receberamindenização de uma firma de Pequim que vendia cópias de "OSenhor dos Anéis" e outros filmes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.