Estrelas do Rock têm maior probabilidade de morte prematura

Estudo envolve mais de mil artistas britânicos e americanos, desde Elvis até Eminem

TIM CASTLE, REUTERS

03 de setembro de 2007 | 22h05

Estrelas do rock, bem conhecidas por umestilo de vida extremo, tem uma chance maior de morrer antes dechegar à terceira idade do que outras pessoas. Um estudo de mais de 1.000 artistas, principalmentebritânicos e norte-americanos, desde a época de Elvis Presleyaté o rapper Eminem, descobriu que eles tinham de duas a trêsvezes mais chances de sofrer de morte prematura do que apopulação geral. Entre 1956 e 2005, houve 100 mortes entre os 1.064 músicosanalisados por pesquisadores do Centro de Saúde Pública nauniversidade John Moores, em Liverpool. Assim como Presley, o rol dos que morreram antes da horainclui o vocalista do The Doors Jim Morrison, o guitarristaJimi Hendrix e o líder do Nirvaba Kurt Cobain. Mais de 25 por cento de todas as mortes estavamrelacionadas a abuso de drogas e álcool, disse o estudo noJournal of Epidemial Community Health. "O documento descreve claramente uma população de estrelasdo Pop e do Rock que têm um risco desproporcional de mortesrelacionadas ao álcool e às drogas", disse Mark Bellis, um dosprincipais autores do estudo. Ele disse que o estudo levantou questões sobre aconveniência de usar estrelas do Rock em mensagens de saúdepública, como campanhas anti-drogas, já que levam uma vidacheia de riscos. "Na indústria da música, fatores como estresse, mudanças depopularidade para obscuridade, e exposição a ambientes ondeálcool e drogas estão facilmente disponíveis, podem contribuirpara uso dessas substâncias assim como outro comportamentosauto-destritivos", disse o estudo.

Tudo o que sabemos sobre:
MUSICAROCKMORTES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.