Estréias levam reflexão e humor aos palcos de SP

Muitas são as estréias nos palcospaulistanos neste fim de semana. Entre elas, espetáculos deprestigiadas companhias teatrais com sede fora da capital, comoo Grupo Lume, de Campinas, que leva ao Sesc Belenzinho oespetáculo Café com Queijo, e o Grupo Armazém, fundado há 15anos em Londrina, hoje com sede no Rio, que apresenta no TeatroAlfredo Mesquita o clássico Esperando Godot, de SamuelBeckett.E os amantes da comédia não têm desculpa para ficar emcasa. Com Maitê Proença, Edwin Luisi e Rogério Fróes liderandoum grande elenco dirigido por Gracinco Jr., estréia sábado, parao público, a comédia Com a Pulga atrás de Orelha, no TeatroProcópio Ferreira. Elenco numeroso é também característica damontagem De Caso com a Vida, uma comédia romântica comRicardo Macchi e Oddone Monteiro que chega ao Centro CulturalSão Paulo depois de uma temporada no Rio. Baseada em depoimentosreais, é inequívoca a intenção de fazer rir da peça Todo MundoTem Problemas Sexuais, com um quinteto de atores liderado porPedro Cardoso e dirigidos por Domingos de Oliveira, que fazcurta temporada no Directv Music Hall.Igualmente curta é a temporada de Café com Queijo doGrupo Lume, fundado em 1985 por Luís Otávio Burnier. O Lume temuma maneira peculiar de trabalhar, sempre criando seus própriostextos. "Café com Queijo é quase um documentário", observa aatriz Ana Cristina Colla. Divididos em pequenos grupos, osatores viajaram pelos Estados do Amazonas, Goiás e Minas Gerais"colhendo" histórias e personagens. "O mais difícil foiselecionar as cenas que iriam ao palco, tal a riquezadocumentada." Os atores movem-se em meio ao público, contandocasos como um dia os personagens fizeram com os atores. Ashistórias são "costuradas" por músicas, igualmente colhidasnessas regiões, cantadas e executadas pelos atores que tocaminstrumentos como acordeão, tamborim e viola caipira.Não por acaso, o cenário é composto por uma grandecolcha de retalhos, além de pequenos objetos de cena, usadospelos personagens. Alguns comovem, como a índia que vive numpovoado e fala da extinção da cultura de seu povo; outros fazemrir como o Seu Mata-Onça, que conta como curar malária comquerosene. "O espetáculo vem despertando uma grande empatia dopúblico que sempre identifica entre os personagens um avô, umtio ou conhecido", comenta Ana. "Muitos saem dali com asensação de que deveriam conversar mais com seus avôs ou pais."Café com Queijo já havia feito uma curta temporada no SescBelenzinho em abril, mas muita gente não conseguiu ver, porqueos ingressos esgotavam-se todas as noites. É correr para nãoperder desta vez.Os paulistanos já tiveram a oportunidade de ver algunstrabalhos do Grupo Armazém, entre eles A Ratoeira É o Gato,Édipo, A Tempestade e, o mais recente, Alice Atravésdos Espelhos, que cumpriu temporada no Tusp. Agora é a vez deEsperando Godot, de Beckett, a conhecida peça cujospersonagens centrais são os mendigos Estragon e Vladimir(Patrícia Selonk e Simone Mazzer) que inventam jogos e reflexõespara passar o tempo enquanto esperam pelo misterioso Godot que,acreditam, mudará suas vidas. A idéia de encenar essa peça nãosurgiu por acaso. "Tínhamos acabado de mudar de Londrina para oRio e a expectativa era grande. Estávamos num período detransição, esperando por alguma coisa que não sabíamos extamenteo que era, o que viria. Um dia, reunidos, percebemos queestávamos ´esperando Godot´. A partir daí a montagem da peça foiorgânica", afirma o diretor Paulo de Moraes. Em sua encenação,Moraes preferiu não criar "metáforas" ou atualizações para o quejá está bastante claro no texto. "A peça é muito simples eengraçada." A vida não passa de um intervalo entre nascimento emorte que a gente tenta preencher. "Há momentos de profunda etrágica filosofia e outros de humor quase desleixado." Humor declown, bem explorado pelo grupo.Com a Pulga atrás da Orelha é considerada uma dasmais bem urdidas comédias de Feydeau, dramaturgo-modelo paratodos os que escrevem aquelas peças de qüiproquós, entra-e-sai,mal-entendidos. Gracindo Jr. apaixonou-se pelo texto na décadade 60, quando viu a montagem dirigida por Gianni Ratto, comFernanda Montenegro e Ítalo Rossi no elenco. "É uma comédia develocidade e precisão, que propicia criar a mágica própria doteatro, utilizando recursos não existentes no cinema ou na TV",diz o diretor. O ponto de partida da comédia é simples. Umamulher desconfia que seu marido a trai. Para tirar a dúvida,cria uma artimanha em parceria com uma amiga, que escreve umacarta ao marido suspeito, convidando-o para um encontro. Como aamiga também é casada, começa aí uma série de qüiproquós sóesclarecidos depois de muita confusão.O humor também dá o tom da peça De Caso com a Vida,uma comédia "gay" de Paul Rudnick que já foi adaptada para astelas do cinema no filme Jeffrey. Tudo começa com a atitudedo aspirante a ator e garçom que decide pelo celibato, com medode contrair aids, decisão quebrada no momento em que ele seapaixona por um belo rapaz, soropositivo. "A peça recebeuelogios de médicos e psicólogos, porque trata a questão de formapositiva. E mostra ainda que numa relação, o amor é muito maisimportante do que o sexo", afirma o diretor Fernando Bohrer.De Caso com a Vida. Comédia. De Paul Rudnick. DireçãoFernando Bohrer. Tradução e adaptação Flávio Marinho. Duração:1h20. Sexta e sábado, às 21 horas; domingo, às 20 horas. R$ 1200. Centro Cultural São Paulo - Sala Jardel Filho. Rua Vergueiro, 1.000, tel. 3277-3611. Até 29/9.Com A Pulga atrás da Orelha. Comédia. De GeorgesFeydeau. Direção Gracindo Jr. Tradução e adaptação Gianni Ratto.Duração: 2h20 (com 15 minutos de intervalo). Sexta, às 21h30;sábado, às 19 horas e 22h30; dom., às 18 horas. De R$ 30,00 a R$50,00. Teatro Procópio Ferreira. Rua Augusta, 2.823, tel.3083-4475. Até 15/12. Amanhã (30) somente para convidados.Esperando Godot. Tragicomédia. De Samuel Becket. DireçãoPaulo de Moraes. Tradução Maurício Arruda Mendonça. MúsicaArrigo Barnabé. Duração: 1h40. Sexta e sábado, às 21 horas;domingo, às 19 horas. R$ 10,00. Teatro Alfredo Mesquita. AvenidaSantos Dumont, 1.770, tel. 6221-3657. Até 22/9. Reestréiasábado.Café com Queijo. Comédia musical. Criação do grupo Lume.Duração: 90 minutos. Sábado, às 21 horas; domingo, às 20 horas.R$ 15,00. Sesc Belenzinho - Galpão do Meio. Avenida Álvaro Ramos, 915, tel. 6605-8143. Até 29/9. Reestréia sábado.Todo Mundo Tem Problemas (Sexuais). Comédia. De Domingode Oliveira e Alberto Goldin. Direção Domingos de Oliveira.Duração: 1h50. Esta semana, de quinta a sábado; na próxima, desexta a domingo. Quinta, às 21h30; Sexta e sábado, às 22 horas;domingo, às 19 horas. De R$ 30,00 a R$ 60,00. Directv MusicHall. Av. dos Jamaris, 213, tel. 5643-2500. Até 8/9.

Agencia Estado,

29 de agosto de 2002 | 18h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.