Estréia na TV versão de "Instituto de Beleza Vênus"

A diretora Toni Marshall retirou de seu filme Instituto de Beleza Vênus a série de TV que estréia hoje no Eurochannel, da TVA e DirecTV. Três vezes por semana e ao longo de 25 capítulos, o público da TV paga poderá acompanhar a série sobre quatro amigas cabeleireiras e/ou esteticistas. O filme, interpretado por grandes atrizes como Nathalie Baye e Bulle Ogier, era muito simpático. Maria de Medeiros é o nome mais conhecido no elenco da série, que, em todos os capítulos, apresenta sempre um convidado (ou convidada) especial. Anémone é um deles. O caso de Anthony Delon, o filho de Alain, é diferente. Embora apareça pouco, ele é citado desde o começo. "O Brasil será o primeiro país a ver a nossa série depois da França", diz a diretora. Apesar de produzida pela rede franco-alemã Arté, Vênus & Apollo não estreou nem na Alemanha, devido às dificuldades de dublagem. Na França, Vênus & Apollo foi muito bem recebida. O público gostou, os críticos elogiaram. O sucesso de Instituto de Beleza Vênus e a própria estrutura do trabalho de Toni Marshall - quatro personagens principais, narrativa episódica acompanhando cada uma delas - incentivou a rede a contatar a cineasta. "Nossa série, como o filme, é centrada nas personagens femininas, mas trata das relações entre homens e mulheres", diz Toni. Os homens, cada vez mais, estão se preocupando com a aparência e freqüentam esses institutos. Por exemplo, é muito comum os homens pedirem depilações íntimas, mas não seria de bom tom mostrarmos. Ficamos com depilações mais tradicionais, cuidados com a pele e os cabelos, bronzeamento."Por que as pessoas dão tanta importância à aparência? "Você pode até descobrir, depois, que uma pessoa feia ou malcuidada é legal, mas a primeira impressão será sempre dada pela aparência. Vivemos na era da imagem, na qual o exterior, infelizmente, predomina sobre o interior." Vênus & Apollo - segunda, quarta e sexta, 21h (reprise aos sábados, 22h e dom. 19h30). Eurochanel (canais/operadoras: TVA, 30; Directv, 657)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.