Imagem João Wady Cury
Colunista
João Wady Cury
Palco, plateia e coxia
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Estreia na dramaturgia e direção

Bruno Narchi se prepara para seu primeiro trabalho como diretor com o lançamento da peça 'Diálogos'

João Wady Cury, O Estado de S. Paulo

19 de setembro de 2019 | 03h00

Bruno Narchi, ator que ficou conhecido por desempenhar papéis importantes em musicais como Cazuza – Pro Dia Nascer Feliz, Rent e Tick, Tick... Boom, está partindo para uma nova maneira de atuar, agora também fora dos palcos. Estreia em novembro sua primeira peça como dramaturgo e diretor. Chama-se Diálogos e tem no elenco Luci Salutes, Thiago Machado, Guilherme Leal e Vinícius Loyola, Estreia prevista para 4 de novembro, sempre às 20h30 de segunda-feira, até 16 de dezembro, no Instituto Cultural Capobianco, no centro.

 

PRA NOITE NASCER FELIZ

Narchi decidiu escrever Diálogos no início deste ano justamente no momento em que percebeu no seu entorno pessoas em estado de ânimo atormentado e, como consequência, ausência de diálogo. “Assim decidi criar nove diálogos sobre assuntos que considero importantes, como a relação de pais e filhos, religião, depressão e ansiedade e o amor”, conta o ator. “Em seguida criei músicas para entremear os diálogos. Acho que a música tem isso de fundamental: desarma os espíritos e abre um começo de conversa.” Esta semana ele volta a São Paulo com o musical Cazuza, no Teatro Procópio Ferreira – ele está na pele do cantor carioca nas sessões de sábado, às 18 horas.  

 

BOMBANDO NO BUMBA 

A brincadeira vai começar em outubro e promete ser a sensação da temporada na periferia. Trata-se de um ônibus fabricado em 1986 e que passou por uma série de adaptações para virar um teatro móvel (foto). Pode parecer coisa de palhaço e, de fato, é – palhaços seriíssimos, claro, pois somente eles para levar com galhardia teatro para qualquer lugar onde haja humanos. A companhia LaMínima, formada por Fernando Sampaio, Fernando Paz e Filipe Bregantim, apresentará o espetáculo Palhaços nas Ruas em dez bairros de São Paulo, como Cidade Tiradentes, Pedreira, Horto Florestal e Guarapiranga, entre 4 de outubro e 6 de novembro. A ação da trupe de palhaços é feita em associação com a ONG internacional Palhaços Sem Fronteiras, que atua em regiões de refugiados em zonas de conflito, desastres ecológicos ou de vulnerabilidade social. 

  

É METÁ, Ó PÁ!

É preciso acertar os ponteiros. A última montagem de que a mineira Andréia Horta participou foi Breu, em que dividia o palco com a atriz Kelzy Ecard, em 2011. Portanto a moça está há 8 anos sem atuar em nova peça e não 15 anos, como publicado na semana passada.

 

Três perguntas para Ester Laccava

Atriz e diretora, seu motto é provocar

1. O que é ser atriz?

Ser atriz é confessar.

2. Com qual personagem se parece?

Joana d’Arc, pelo óbvio. Pode ser também o Mister Bean? Claro, também pelo óbvio. 

3. Se tivesse que morrer em cena, como gostaria que fosse?

Com um plateia de 50 pessoas somente. Nada de casa lotada. 


 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.