Estreia hoje nova temporada de 'Tapas & Beijos'

Depois do "felizes para sempre", a luta contra a chatice da rotina - "Tapas & Beijos", o seriado mais bem-sucedido da Globo no ano passado, inicia nesta terça à noite sua segunda temporada disposto a retratar os dilemas da vida após o casamento. E, claro, com muito bom humor. "É justamente a inadequação da história desses personagens que vai continuar trazendo a comédia do programa", comenta o diretor de núcleo Mauricio Farias.

AE, Agência Estado

03 de abril de 2012 | 09h43

Para quem não se lembra, a primeira temporada (cujos 12 primeiros episódios saíram agora em DVD) terminou com as amigas Sueli (Andréa Beltrão) e Fátima (Fernanda Torres) casando-se com Jorge (Fabio Assunção) e Armane (Vladimir Brichta), respectivamente. Agora, elas deixam o Méier, onde dividiam apartamento, para serem vizinhas em Copacabana. E o casamento, claro, vai mudar a amizade.

Fátima, por exemplo, passa a se preocupar em corresponder ao papel de esposa perfeita, apesar da falta de talento para isso. Já Sueli será obrigada a viver com Bia (Malu Rodrigues), filha do marido, e, de quebra, tem de encontrar constantemente seu ex, Jurandir (Érico Brás). Para completar, o casal que comanda a loja de vestidos de noivas onde as duas trabalham, Djalma (Otávio Muller) e Flavinha (Fernanda de Freitas), terá de lidar com a presença da mãe dela na vida a dois, e Chalita (Flávio Migliaccio) encontrará um grande amor.

"O ponto de partida do seriado são duas mulheres que têm autonomia e fazem escolhas. Os amores virão, mas não por dependência, e sim pela paixão por seus homens. O universo adulto, a liberdade e a possibilidade de escolha são retratados no programa", define o autor Cláudio Paiva sobre a segunda temporada de "Tapas & Beijos". Ele conta que o projeto é antigo e sempre previu reunir Fernanda e Andréa - elas, aliás, já estiveram juntas no especial "Programa Piloto", exibido pela Globo no fim de 2009.

A independência, ainda que frágil, continuará como uma marca especial de cada um dos personagens na fase que começa nesta terça. "O Jorge é um cara da noite, meio enrolado. Já a Sueli é acostumada a viver sozinha, e eles são independentes. Os dois se amam, mas são inviáveis, e o que os mantêm juntos é a vontade de se encaixarem, apesar de todos os defeitos", comenta Mauricio Farias. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
televisãoTapas & Beijos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.