Estreia hoje na Globo o jornalístico 'Brasileiros'

Jornalismo de personagens, boas histórias, sem pressa ou camisa de força. Essa é a promessa de "Brasileiros", programa que estreia hoje, na Globo, às 23h50 (depois de "A Vida Alheia"). A cada semana, um repórter (Edney Silvestre, Neide Duarte e Marcelo Canellas) trará uma reportagem especial, com linguagem mais próxima ao documentário. Na primeira edição, será contada a história de Flávio Sampaio, filho de um pescador na pequena cidade de Paracuru, no Ceará, que se transformou em bailarino.

AE, Agência Estado

17 de junho de 2010 | 11h00

"Tive a ideia de um programa como Brasileiros quando estava viajando pelo País. Nós temos muitas histórias por aqui, muita história interessante acontecendo longe do mundo das pessoas públicas ou celebridades", diz Edney Silvestre. O repórter fala do seu primeiro personagem. "Flávio vivia no interior do Ceará e, mesmo sem nunca ter visto um balé antes, sonhou em ser bailarino. Quando soube das intenções do garoto, o pai dele chegou a amarrá-lo e até deu uma surra nele. Ainda assim, Sampaio realizou seu sonho e chegou a viajar o mundo como bailarino", conta Edney.

Hoje, Flávio Sampaio tem uma escola de dança em sua cidade natal. No local, cerca de 200 jovens, filhos de lavradores e pescadores, aprendem balé. Silvestre conta que o programa é quase que inteiramente narrado pelo próprio personagem. Outra novidade (em relação às reportagens tradicionais) é o ritmo da nova atração. "Na televisão, tudo está muito rápido e gritado, tudo muito ligeiro para caber entre os comerciais. Em Brasileiros, nós nos preocupamos em contar nossas histórias num ritmo mais cadenciado, mais perto do que é o cinema", destaca Neide Duarte.

O segundo programa foi produzido pelo jornalista Marcelo Canellas. Nele, será mostrado o trabalho de uma psicóloga que cria livros para contar a história de crianças que vivem num abrigo. No terceiro episódio, Neide Duarte retrata uma carioca que criou um projeto de inclusão social para portadores de deficiências. Silvestre torce para o "Brasileiros" ter vida longa na grade global e até contaminar outros programas da emissora. "Estamos fazendo um jornalismo mais aprofundado e humano", diz ele. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
televisãoGloboBrasileiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.