Estreia hoje filme de Stallone gravado no Rio

Estreia hoje nos cinemas do País "Os Mercenários", filme dirigido, escrito, produzido e protagonizado por Sylvester Stallone, que andou desdenhando do Brasil ao fazer a promoção do filme na Comicom, em San Diego. A história é básica: um grupo de mercenários vive de realizar missões em que o governo americano não quer aparecer (ou sujar as mãos). No filme, o grupo vai parar num país controlado por um ditador (que por sua vez é controlado por um agente desgarrado da CIA). A filha deste último integra a resistência. Aliás, esse país é o município de Mangaratiba, no Rio de Janeiro, onde o longa foi gravado.

AE, Agência Estado

13 de agosto de 2010 | 10h04

A primeira razão para assistir ao filme é Giselle Itié. A atriz brasileira está linda, seu inglês não soa forçado e ela dispensou uma dublê durante uma cena de tortura. No meio de tantos fortões, Giselle é quase uma Lady Macbeth. Outra razão está nos atores de ação. O filme despertava curiosidade por reunir a nata do cinema de ação da atualidade. O elenco tem, além de Stallone, Steve Austin (lutador de luta livre), Randy Couture (do filme Cinturão Vermelho), Dolph Lundgren (Soldado Universal), Jet Li (O Reino Proibido), Jason Statham (Carga Explosiva), Terry Crews (Dia de Treinamento) e Mickey Rourke (O Lutador).

Na melhor cena do filme, Rourke lembra para o personagem de Stallone uma experiência de ambos durante a Guerra da Bósnia. Ele relata como passou pela vida matando e falhou no breve momento em que salvar uma vida teria feito a diferença, resgatando-o da sua miséria moral. Quando ele conta isso, é um homem fisicamente destroçado. O título brasileiro, "Os Mercenários", não dá a medida do original, "The Expendables", que se refere justamente a heróis cujo tempo já passou. Outra cena emblemática, Stallone contracena com dois convidados especiais: Bruce Willis e Arnold Schwarzenegger.

Estátua

Paraíso de turistas, Mangaratiba, distante cem quilômetros do Rio, recebeu a equipe de Stallone entre março e abril. As filmagens movimentaram a cidade: moradores fizeram figuração, donos de restaurantes lucraram. Tudo muito bem, até Stallone dar declarações desagradáveis, como "Gravar no Brasil foi bom, pois pudemos matar pessoas, explodir tudo e eles diziam ''Obrigado, e tome um macaco pra levar para casa!''" Em Mangaratiba, como no Rio, pegou mal.

Ainda assim, a prefeitura cogita erguer uma estátua de bronze com as formas do ator/diretor. A ideia foi do próprio. Seria algo como a imagem de Brigitte Bardot em Búzios - uma homenagem por ela ter frequentado a então vila de pescadores nos anos 60. Acusado de dar calote até na produtora 02, de Fernando Meirelles, que participou da produção, Stallone depositou R$ 65 mil na conta da prefeitura, que agora vai consultar a população. Mas os mangaratibanos estão divididos. Muitos se ofenderam com as palavras de Stallone. Se for aprovada, a estátua, possivelmente em tamanho natural, deverá ficar próxima da área do cais, que aparece no filme. As informações são dos jornais O Estado de S. Paulo e Jornal da Tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.