Estréia em SP peça que mantém atores no ar

A Companhia Linhas Aéreas está de volta aos palcos paulistanos para uma temporada da peça Pequeno Sonho em Vermelho, que tem texto assinado por Fernando Bonassi e direção de Lucienne Guedes e Francisco Medeiros. A montagem estréia sábado para o público. Desafiando as leis da gravidade, o elenco passa boa parte da peça suspenso no ar, saltando entre móveis - uma cama, uma cadeira e um sofá - instalados a quatro metros do chão. É impossível desviar os olhos da trupe que, em pequenas esquetes narradas de forma não linear, trazem temas do cotidiano - amor, revolta, angústia, solidão, encontros e desencontros. Encenada com gestos rápidos, belos e precisos, a peça mistura técnicas circenses, movimentos de dança contemporânea e artes marciais. Quando não estão suspensos, os atores se dividem entre o palco e três passarelas que se intercalam formando uma espécie de labirinto. Não por acaso, a peça se inspira na obra de Wassily Kandinsky. Para um olhar mais desatento, a tela do pintor russo que dá nome ao espetáculo parece uma colagem de rabiscos aleatórios. Na medida em que os olhos se acostumam à pintura, os riscos ganham sentido.Pequeno Sonho em Vermelho - Teatro Sesc Anchieta: R. Dr. Vila Nova, 245, Consolação. Tel: 3234-3000. Quinta às 21h; sábado 21h30 e domingo 18h. De 18 de outubro a 23 de novembro. De R$ 7 a R$ 15.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.