Estreia da e-galáxia acirra mercado de autopublicação

Com o crescimento da oferta de plataformas de autopublicação - a Publique-se, da Saraiva, foi a última criada - e o desenvolvimento do mercado de e-book, tem sido cada vez mais fácil lançar um livro no Brasil. No dia 3 de julho, na Flip, uma nova empresa entra na concorrência - a e-galáxia. Por trás dela, profissionais que há mais de dez anos prestam, na A2 Estúdio de Criação, serviços para editoras: Mika Matsuzake, Tiago Ferro e Antonio Carlos Espilotro. Ao lado deles, dependendo do projeto, parceiros como o editor Ronald Polito e o capista João Baptista da Costa Aguiar, entre outros editores, ilustradores, tradutores, revisores, capistas, etc., que quiserem oferecer sua mão de obra. Segundo os idealizadores, o autor vai poder escolher os serviços e os profissionais que vão trabalhar em seu projeto. Ele também vai poder acompanhar online o desempenho do título nas livrarias. O e-galáxia deve atrair escritores amadores, mas não só. Alberto Villas inaugura o catálogo, em julho, com um livro de crônicas. Também aderiram à ideia: Ricardo Lísias, que vai publicar um e-book de ensaios, e Ricardo Ramos, neto de Graciliano, que lançará seu primeiro volume adulto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.