Estou feliz simplesmente por ser livre de novo, diz Paris

Socialite afirma em entrevista que a prisão mudou seu modo de encarar a vida

Agencia Estado

02 de julho de 2007 | 09h21

A socialite Paris Hilton concedeu na quarta-feira, 27, uma entrevista exclusiva ao programa Larry King Live, da rede americana CNN. Ela falou sobre sua claustrofobia, seus problemas de déficit de atenção e o medo de ficar sozinha. E revelou estar feliz simplesmente por ser livre de novo. Paris ficou presa por 23 dias por ter violado a condicional e dirigido, embriagada, com a licença suspensa."Odeio estar só e tinha pesadelos, em que alguém invadia minha cela para me atacar", explicou. Ela garantiu ao apresentador que está "há dois dias feliz simplesmente por estar do lado de fora, por ser livre de novo".Apenas algumas horas depois de ganhar a liberdade, a milionária de 26 anos concedeu sua primeira entrevista para a revista People, numa das mansões da família."As pessoas não me conhecem. Sou uma boa pessoa, com um grande coração. Sou sincera e todos vão ver isso", declarou à revista, enquanto arrumava seu cabelo, na casa do seu avô, em Bel Air.O momento mais humilhante, segundo a socialite, foi ser revistada "nua na frente de estranhos". Mas ela se mostrou agradecida a suas companheiras de presídio. E comentou que quer fazer alguma coisa por elas, para "romper o ciclo" que leva as ex-presidiárias de volta à cadeia. "Quero organizar um lugar que ajude a refazer a vida delas", explicou.AprendizadoA também atriz e cantora tentou desfazer a imagem de rainha da noite de Hollywood e ressaltar que trabalha muito. "Eu me considero uma garota normal, como qualquer outra", acrescentou. No entanto, reconheceu que mudou com a "dramática experiência" da prisão e teve tempo para "ver o que é importante"."Amadureci e cresci muito com esta experiência. Sou uma pessoa adulta e tenho que ser mais responsável e um melhor modelo para a sociedade", resumiu.Desmentindo a informação veiculada pelo site de fofocas TMZ.com, Hilton disse que mal tinha perdido peso na prisão e comentou que as únicas medicações que toma são para o problema de déficit de atenção, que foi diagnosticado quando tinha 12 anos.Hilton foi mais discreta quando King perguntou sobre os problemas de imagem de suas amigas, como as atrizes Lindsay Lohan, Nicole Richie e a cantora Britney Spears.Na entrevista à People, cujos primeiros fragmentos foram adiantados na quarta na internet, ela contou que passou as primeiras noites de detenção em "posição fetal", como uma "histérica" e sem dormir.A prisãoParis foi condenada a 45 dias de prisão por ter violado a condicional e dirigido, embriagada, com a licença suspensa. A pena foi reduzida para 23 dias por bom comportamento. A "libertação" da patricinha, conhecida por ser figura freqüente em baladas, foi acompanhada, na terça-feira, ao vivo pelas redes de televisão americanas e por 200 fotógrafos.Durante o período em que esteve na cadeia, causou polêmica com sua saída repentina no dia 7, por "razões médicas". Foi informado que ela cumpriria uma pena maior, de 40 dias, em casa. Um dia depois, porém, foi determinado que ela voltasse à prisão. Antes do retorno, passou dias no centro penitenciário Twin Towers Correctional Facility, onde recebeu atendimento médico.Se não violar mais nenhuma lei, Paris deve completar sua pena em liberdade condicional em março de 2009. Ela pode reduzir o prazo para 12 meses, se aceitar fazer serviço comunitário ou gravar uma mensagem de serviço público, disse a polícia.

Tudo o que sabemos sobre:
ParisHilton

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.