Estilo único de Jerry Robinson culminou na charge

O veterano cartunista Jerry Robinson é um dos sobreviventes de uma era glamourosa dos quadrinhos, os anos 40 e 50, e foi convidado para ingressar na história pelas mãos de dois gênios: Bob Kane e Bill Finger.Robinson, ainda um adolescente, foi recrutado para ajudar na criação de Batman em 1940. Naquela década, a revista Detective Comics, que publicava as aventuras do homem-morcego, chegou a vender 800 mil exemplares semanais.Como mérito exclusivo de criação, ele tem o Coringa no currículo - que, no cinema, foi magnificamente interpretado por Jack Nicholson no primeiro filme da série Batman. Mas é co-autor de diversos outros personagens, como Robin, Duas Caras, Pingüim e Mulher-Gato.Ele mesmo conta que os quadrinhos, no início, eram apenas um "bico", uma forma de ajudar a pagar os estudos. Mas ele desenvolveu um estilo único ao longo da carreira, que culminou hoje em dia na charge - geralmente, com grande engajamento político e social.Os documentaristas da Scriptorium entrevistaram cartunistas do Brasil e de todo o mundo, como Ique (chargista do Jornal do Brasil), Chico Caruso (chargista e caricaturista, responsável pela charge de capa de O Globo), o expert em quadrinhos Álvaro de Moya. Nos Estados Unidos, foram entrevistados o também veterano Stan Lee (presidente de honra da Marvel Comics e criador de diversos personagens famosos como os X-Men, o Homem-Aranha e o Surfista Prateado), Joe Kubert (outro grande artista dos comics, ex-ilustrador de Tarzã e fundador e professor da Joe Kubert School of Art, de formação de novos artistas), Jules Feiffer (cartunista e escritor, ganhador de um Prêmio Pulitzer e de diversos livros ilustrados infantis, como O Homem no Telhado) e Carmine Infantino, ex-presidente da Marvel Comics.De propriedade de Marisa Furtado de Oliveira e Paulo Serran, a carioca Scriptorium é hoje uma das mais importantes produtoras do mundo a trabalhar com o registro e a reflexão sobre o trabalho dos grandes cartunistas. Recebeu este ano o Troféu HQ-MIX para os melhores de 1999, concedido em votação nacional pela Associação dos Cartunistas do Brasil, com o documentário Will Eisner - Profissão Cartunista.

Agencia Estado,

22 de novembro de 2000 | 17h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.