Benoit Tessier/Reuters
Benoit Tessier/Reuters

Estilistas trocam desfiles por internet

Semana de moda de Londres terá cerca de 50 desfiles tradicionais, enquanto 80 estilistas preferem exibir suas criações de outras formas, inclusive virtuais

Mark Hanrahan, Reuters

06 Janeiro 2018 | 06h00

LONDRES - Os modelos desfilarão nas passarelas como sempre quando a semana de moda masculina de Londres começar neste sábado, 6, mas alguns grandes nomes da indústria estarão ausentes por terem preferido dispensar a ocasião ou fazer apresentações na internet.

O evento terá cerca de 50 desfiles tradicionais ao longo de três dias, enquanto o restante dos 80 estilistas no programa exibirá suas criações em uma variedade de outros espetáculos, inclusive virtuais.

A transição para novos métodos de conexão com os consumidores custou à semana de moda masculina de Londres alguns grandes nomes das passarelas. No mês passado, a ícone punk Vivienne Westwood anunciou que descartará um desfile de praxe e apresentará sua coleção através de uma apresentação audiovisual.

Outras grandes grifes, como as britânicas Burberry e J.W. Anderson, decidiram pular o evento do ano passado e deste respectivamente, optando por desfiles de moda mista durante a semana de moda feminina de Londres, em fevereiro.

“Tudo que estamos tentando fazer é encurtar a distância entre o consumidor e um par de calças”, disse o diretor da semana de moda masculina de Londres, Dylan Jones, que também é tema função de editor da revista britânica GQ.

“Se uma marca ou estilista considerar que é muito melhor para eles fazerem um desfile conjunto, um desfile fora de temporada, um desfile digital, ir direto ao consumidor – não importa. Tudo diz respeito a amplificar a criatividade britânica e vender.”

Mais conteúdo sobre:
Vivienne Westwood Burberry moda internet

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.