Vianney Le Caer/ AP
Vianney Le Caer/ AP

Estilista Julien MacDonald pede desculpas por ter usado peles em coleções passadas

'Você não precisa matar animais para vestir boas roupas', afirmou britânico.

Pedro Caiado da Cunha, Reutes

19 de setembro de 2017 | 17h02

O estilista britânico Julien MacDonald pediu desculpas por ter usado peles em coleções passadas, tocando em um assunto delicado que voltou a causar celeuma na Semana da Moda de Londres.

Ele conversou com a Reuters dias depois de ativistas contrários ao uso de peles interromperem o desfile da grife britânica Burberry no evento e incomodarem celebridades como o rapper Stormzy e a modelo Naomi Campbell em sua chegada.

“Quando era um estilista jovem realmente usei muitas peles, e quer saber, acho que talvez devessem tentar não fazê-lo”, disse MacDonald no final da segunda-feira, 18.

“Quer saber? Foi um erro meu. Eu era jovem. Lamento. Peço desculpas.”

Mais cedo no mesmo dia ele mostrou sua própria coleção – uma mistura de vestidos glamorosos e reveladores exibidos por grandes nomes como a brasileira Alessandra Ambrósio, ex-modelo da Victoria’s Secret.

Não havia pele à vista. “Você não precisa matar animais para vestir boas roupas”, opinou.

Tampouco havia peles no desfile da Burberry em Londres, mas a marca de fato vende itens feitos com pele de raposa e guaxinim.

Em 2001, MacDonald foi escolhido como estilista-chefe da maison francesa Givenchy, sucedendo Alexander McQueen, mas partiu em 2004 em meio a acusações de que suas peças muito carregadas de lantejoulas não combinavam com uma grife que preza sua associação com ícones da moda como Audrey Hepburn.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.