Estante da semana traz crime, poesia e bons contos

Há também filosofia, um novo best-seller do americano David Baldacci e reflexões sobre o marketingUMA AGENDA DE CRIMES QUE ABALARAM O MUNDOUm, John Douglas, veterano do FBI conhecido mundialmente pelos seus conhecimentos no campo da investigação, é autor de inúmeros artigos. O outro, Mark Olshaker, é cineasta e romancista. Os dois uniram-se para escrever Mentes Criminosas & Crimes Assustadores, que acaba de ser lançado no Brasil.O livro de Douglas e Olshaker (Ediouro, 480 páginas, R$ 49,00), aborda alguns dos crimes mais famosos do mundo. Cada um dos casos examinados é extremamente controverso. E cada um contém, no fundo, alguma verdade universal, que todos nós podemos vislumbrar. Juntos formam um quadro bastante representativo do comportamento humano em condições extremas e nos levam a inevitáveis considerações sobre o bem e o mal, a inocência e a culpa.Estão reunidas no livro perguntas assim: Seria Jack, o Estripador, na verdade, o duque de Clarence, neto mais velho da rainha Vitória, ou talvez um médico? E haveria, algumas pessoas, na cúpula da Scotland Yard, que sabiam sua identidade e nunca a revelaram? Seria Lizzie Borden, na verdade, inocente na morte de sua madrasta e de seu pai, como decidiram os doze jurados de Fall River, ou teria sido sua a mão que segurou o machado e desfechou todos aqueles golpes? Teria Bruno Richard Hauptmann, sem nenhuma ajuda, seqüestrado o bebê de Charles e Anne Morow Lindbergh ou seria apenas um inocente bode-expiatório, preso, condenado e, no final, executado? AS ANDANÇAS DE LILA, UMA POETA MUITO LOUCA.Um emocionante e divertido retrato da vida de Lila Moscowitz, uma poeta nova-iorquina de língua afiada, atitudes controversas e voraz apetite para o sexo. Sucesso absoluto nos países onde foi lançado, Poesia Pura, de Binnie Kirshenbaum, seduziu a crítica e recebeu elogios de gente como Norman Mailer e Michael Cunnningham.Lila Moscowitz é um furacão. Ela não liga para nada, suborna criancinhas com doces, escreve poemas chulos e pede que seus alunos de poesia não leiam livros. Lila dramatiza tudo que acontece com ela, evita seus verdadeiros sentimentos e revela milhares de neuroses por segundo. Tem crises de depressão nos aniversários e sua caixa de correio está sempre repleta de contas a pagar. Lila, uma judia convicta, sente falta de seu ex-marido, Max, um alemão cujos pais eram nazistas. Na verdade, sente falta de sexo. Sexo de alta qualidade, diz ela. Imprevisível, feroz e excitante. As lembranças do casamento transformam seu novo namoro em algo sem graça e sufocante. Henry, o namorado, é super protetor, careta, não tem fantasias sexuais, nem perde o controle - um verdadeiro chato. Poesia Pura (Record, 240 páginas, R$ 33,00), revela a maturidade literária de Binnie Kirshenbaum. Seus personagens são sinceros, expõem seus sentimentos mais profundos e pulam das páginas para a vida, tornando-se pessoas normais que todo mundo conhece. UMA ANTOLOGIA DE HERÁCLITO, EM TRADUÇÃO ELOGIADA.Os escritos de Heráclito de Éfeso, considerado um dos pensadores mais brilhantes da Antiguidade, agora reunidos. Coube ao professor Alexandre Costa, depois de um demorado trabalho de pesquisa, a organização de Heráclito ? Fragmentos Contextualizados.Por que contextualizados? É que, pela primeira vez em língua portuguesa, os escritos são apresentados nos seus respectivos contextos, ou seja, com explicações sobre como e por que foram escritos. A outra edição conhecida dos fragmentos está em sueco.Ao professor Alexandre Costa, da Universidade Federal Fluminense (agora na Universidade de Osnabruck, na Alemanha, preparando sua tese de doutorado), coube também a tradução dos textos reunidos em Heráclito ? Fragmentos Contextualizados (Difel, 288 páginas, R$ 30,00).UM NOVO BEST-SELLER DO AMERICANO DAVID BALDACCIUm autor de freqüentes best-sellers internacionais, como Poder Absoluto, A Vencedora e Controle Total, está de volta às livrarias brasileiras. Agora, o romancista norte-americano David Baldacci chegou com O Poço dos Desejos.O livro (Rocco, 328 páginas, R$ 36,00) conta a história de Louisa Mae Cardinal, que mora na agitada Nova York de 1940 com o pai, o aclamado escritor Jack Cardinal, a mãe Amanda e o irmão caçula, Oz, de sete anos. Seu pai é seu ídolo e o ato de contar histórias a apaixona. Uma tragédia, porém, muda o destino da menina de apenas doze anos. Ao voltar de um passeio, a família sofre um acidente de carro. Jack Cardinal morre e sua esposa sofre traumatismo craniano. Com a mãe entre a vida e a morte, só resta às crianças uma alternativa: viver na região montanhosa do Estado da Virgínia com a bisavó, a extraordinária Louisa Mae, xará da bisneta, que assume a responsabilidade de cuidar dos três. A obra é um thriller de suspense, característico dos livros de Baldacci, combinado com elementos de encantamento e descobertas infantis. Além disso, o autor faz uma homenagem à terra onde nasceu.UMA NOVA (E POLÊMICA) PROPOSTA DE MARKETINGUm livro que mereceu destaque na conceituada Haward Business Review. O autor, Christopher Locke, por sua vez, figurou em uma recente pesquisa do Financial Times Group entre os cinqüenta maiores pensadores do mundo empresarial.Então, qualidade comprovada. Com Marketing Muito Maluco (Campus, 272 páginas, R$ 45,00), que acaba de ser editado, Chris Locke, como é mais conhecido no Estados Unidos, mostra que em um mundo com novos mercados nascendo, e um mundo onde, cada vez mais, o consumidor é que dita as regras, é preciso um novo modelo de marketing. Pergunta ele: qual é a revolução que está abalando os negócios em nossos dias? A resposta: Certamente a Web tem preponderante papel nela. O que se vê é que as pessoas se conectam à Internet para formar poderosos micromercados. E essas comunidades ligadas em rede refletem tendências profundas de nossas culturas.Em suas reflexões, o autor traça paralelos entre mídias poderosas como a TV e a Internet e, entre suas conclusões, observa que na televisão apelos repetidos podem criar consciência de marca, mas na rede geram irritação e isso significa que a comunicação on line deve ser outra. Para Locke, as pessoas se conectam umas com as outras na Internet, de baixo para cima, de acordo com suas paixões e interesses, que raramente têm relação direta com produtos.UMA SELEÇÃO DE BONS CONTOS. PERSONAGEM PRICIPAL: O DINHEIRO.Em A Selva do Dinheiro, o jornalista e escritor Roberto Muggiati reúne contos de mestres da literatura como D. H. Lawrence, Guy de Maupassant, Scott Fitzgerald, Dostoievski, Edgar Allan Poe, Leon Tolstoi, Nataniel Hawthorne, Eça de Queiroz, Kafka e James Joyce. Em todas as histórias, o dinheiro é o personagem principal. Muggiati visita alguns de seus autores favoritos e mergulha no tema que, segundo ele, é uma das três fatalidades na existência do homem: nascimento, morte e dinheiro.O dinheiro foi alçado ao poder supremo, um valor sobre os valores, sem antagonismos nem alternativas. O dinheiro impõe-se como o pensamento único, decretando o fim da história e dos valores humanos. A economia condiciona a política.Na seleção de contos feita por Muggiati, encontramos toda a glória e desgraça determinada pelo dinheiro. Os encontros e desencontros que sua presença promove. O que é mais lucrativo, o sucesso ou a felicidade? Se o consumidor é mais respeitado e tem mais direito que o cidadão, para que serve a cidadania? E como disse Shakespeare sobre o dinheiro: "O que ele não é capaz de fazer e desfazer?".A Selva do Dinheiro (Record, 350 páginas, R$ 35,00) é, como se vê, um livro oportuno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.