Esquenta o clima nos bastidores de "A Padroeira"

Desde que Walter Avancini - com graves problemas de saúde - precisou afastar-se da direção-geral de A Padroeira, e Roberto Talma assumiu o posto, há duas semanas, o clima vem esquentando nos bastidores da novela das seis da Globo. Personagens que saem, outros que entram, mudanças na iluminação, cenários, figurinos e na trilha sonora, intensificação de tramas amorosas e minimização de outras - ou seja, uma nova história estará no ar a partir de agora.Com a audiência registrando média entre 23 a 25 pontos no Ibope - a expectativa era de que a novela ficasse na faixa dos 30 pontos -, os comentários no Projac, ontem, eram de que Um Lugar ao Sol, a sucessora de A Padroeira, escrita por Maria Adelaide Amaral, poderia ser antecipada.Isso está gerando um clima de insegurança entre os atores. Oito já foram dispensados: Maria Ribeiro, Jackson Antunes, Raquel Nunes, Denise Milfont, Roney Vilella, Carlos Gregório, Isac Bardavid e Ida Gomes. Segundo Raquel Nunes ( que vivia a Celeste), nenhum comunicado oficial foi feito até agora."Uma repórter ligou para a Maria Ribeiro (que interpreta a Rosa Maria) e perguntou o que ela achava de deixar da novela. A Maria foi saber o que estava acontecendo e descobriu que nós todos íamos sair. O pior foi a atitude do Talma. Ele podia perder cinco minutos do seu precioso tempo e falar conosco, nos tratar com dignidade e respeito."Embora continue na trama, Gustavo Haddad (que vive Luiz) se ressente da diminuição de seu personagem em A Padroeira. "Minha história se esvaziou. Estou na expectativa dos próximos capítulos." E acrescenta: "Não estou inseguro: estou completamente em pânico." Jackson Antunes também lamenta a retirada do seu Atanásio, personagem real, importante na história de Nossa Senhora Aparecida.O autor da novela, Walcyr Carrasco, desmente que A Padroeira esteja passando por uma crise. Ele acredita que as mudanças vieram para melhorar ainda mais a novela.Tudo previsto - "A entrada do Talma está sendo superpositiva. Ele é muito criativo, e eu estou gostando muito." Em relação à ampliação das cenas de amor entre os personagens principais Valentim (Luigi Baricelli) e Cecília (Deborah Secco), e Diogo (Murilo Rosa) e Izabel (Mariana Ximenes), Walcyr garante que tudo já estava previsto. "O que o Talma está fazendo é imprimir seu estilo vigoroso às cenas românticas. Tudo está sendo feito com a minha participação."Entre as novidades da novela está a chegada de uma trupe de artistas à Vila de Guaratinguetá - Dorotéia (Suzana Vieira), Faustino (Rodrigo Faro) e Agnes (Ana Paula Tabalipa) , além do juiz Honorato, sua filha Zoé (Cecília Dassi), Padre Gregório (Daniel Oliveira) e o capitão-do-mato Inocêncio (Jandir Ferrari)."Quem assistiu a outras novelas minhas sabe que entrada e saída de personagens é absolutamente comum e normal no meu estilo. Estou particularmente feliz por poder contar com uma atriz como a Suzana Vieira", diz Carrasco."É absolutamente normal, depois de um mês de estréia, uma avaliação da novela. Nesse caso, só virou notícia por causa da entrada de um novo diretor, motivada pela doença do Avancini. O resto é especulação. Criar, recriar, dar reviravoltas, transformar a história é parte do processo de trabalho de uma novela, comum a todos autores. Às vezes, a interpretação de um ator é tão surpreendente, que ele acaba criando mais espaço na trama, abrindo novos caminhos para o autor. É o que está acontecendo, por exemplo, com a personagem da Imaculada, da Elizabeth Savalla, que ela está fazendo genialmente", afirma Carrasco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.