Espetáculo em SP tem sessão especial para cães

Na última quinta-feira, uma plateia especial, composta por 32 cães, ocupou as cadeiras do Teatro Nair Bello, em São Paulo, para uma sessão inusitada do espetáculo "Bark! Um Latido Musical". A ideia de fazer uma apresentação para cães partiu do produtor teatral João Federici. "Esta é a primeira vez que alguém faz isso no Brasil. Já tinha visto em Los Angeles, num festival de cinema, mas nunca no teatro", diz. A renda obtida com a apresentação, cerca de R$ 600, foi revertida para o Centro de Adoção Animal, do projeto Natureza em Forma.

AE, Agência Estado

18 de maio de 2010 | 10h02

Tudo foi preparado e adaptado para receber os cães e seus donos com muito conforto. Ao chegar, o dono do bicho recebia um porta-saquinhos plásticos para recolher a sujeira, caso seu cachorro resolvesse se aliviar no saguão. Uma simpática recepcionista perguntava: "É menino ou menina?", para, então, entregar o porta-saquinhos numa cor que combinasse com o sexo do cão: rosa ou azul.

Um esquema de limpeza especial foi montado para dar conta do xixi que se espalhou pelo chão assim que machos e fêmeas de yorkshire, maltês, spitz alemão e vira-latas, entre outros, começaram a se reunir na sala de espera. "Montei uma equipe de limpeza com mais ou menos oito pessoas", afirma Federici. Potes de água para os cães foram espalhados pelos cantos, e outra recepcionista distribuía biscoitos caninos.

Enquanto esperavam o início do espetáculo, que atrasou 20 minutos, os cães se cheiravam e tentavam brincar no espaço reduzido. "Eu amo teatro, por isso estou aqui. Quero que ele conheça o universo que eu amo", comentou a psicóloga Miriam Facuri, que levou o poodle Puppy, 11 anos, para conferir o espetáculo. Acompanhado pela cocker spaniel Nina, 9 anos, o analista de sistemas René Zielgelmair, observava a confusão. "Em São Paulo, faltam opções de diversão para quem tem cachorro", disse.

Quando soou o terceiro sinal para o início da peça, donos e cães já se acomodavam nos assentos protegidos com sacos plásticos. Os cachorros maiores ocuparam poltronas ao lado de seus donos e os menores ficaram no colo. Atraída pelas luzes, música e movimento dos atores, a cachorrada se comportou e manteve os olhos no palco durante os 20 minutos da apresentação. Estimulados pelos aplausos do restante da plateia, os bichos latiam no final de cada número. "Bark!" fica em cartaz até 27 de junho, com apresentações de quinta a domingo, com 1h20 de duração. Mas sem cachorros. A sessão especial para os cães não tem previsão de se repetir. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
teatrocãesBark! Um Latido Musical

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.