Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Renato Mangolin/Divulgação
Renato Mangolin/Divulgação

Espetáculo celebra 82 anos da bailarina Angel Vianna

'Qualquer Coisa a Gente Muda' está em cartaz até domingo no Sesc Belenzinho

AE, Agência Estado

24 de março de 2011 | 10h05

No dia 17 de junho, a bailarina Angel Vianna completará 82 anos. Na mesma época, celebrará a impressionante marca de 62 anos de carreira, numa trajetória que inclui a fundação de uma faculdade de dança que leva o seu nome, no Rio de Janeiro. Considerada uma das mais importantes bailarinas de dança contemporânea do Brasil, ela se apresentará de amanhã a domingo, no Sesc Belenzinho, com o espetáculo Qualquer Coisa a Gente Muda. Trata-se de uma apresentação-tributo, com a participação de ex-alunos, amigos e colaboradores de Angel, como Maria Alice Poppe e João Saldanha.

Maria Alice divide o palco com Angel, enquanto João dirige o espetáculo. "Gosto das ideias do João porque ele sempre cria surpresas. Tanto para mim quanto para quem assiste. É interessante. É novo sempre. E a plateia reage em cada lugar de maneira diferente", afirma Angel.

O experimento coreográfico foi exibido pela primeira vez no final do ano passado, em Belo Horizonte, terra natal de Angel. Depois, passou pelo Rio de Janeiro. O objetivo do espetáculo é homenagear a bailarina, tida por seus pares uma diva da dança contemporânea. Esse rótulo, no entanto, é uma distinção concedida a poucas profissionais, dada somente àquelas que se destacaram pela qualidade, perseverança e longevidade na carreira. "É preciso acreditar no que faz. E eu gosto do que faço. Em geral, a pessoa chega até um ponto da vida que cansa do que faz. Eu não. Viver é morrer. Dançar é mover."

O espetáculo terá um prólogo de oito minutos, que será apresentado apenas às 150 pessoas que chegarem primeiro. Essa limitação existe por causa do espaço que a encenação ocupa. Nesse trecho, luz e som pouco a pouco são revelados à plateia, que vai percebendo, em cena, os movimentos de Maria Alice Poppe. No fim desses oito minutos, as cortinas são abertas e o público depara com Angel, sentada nas últimas fileiras da plateia. Depois de levantar-se e dirigir-se para a primeira fila, a dançarina começa a observar a entrada do restante do público, até completar a lotação do espaço, de 392 lugares.

Qualquer Coisa a Gente Muda não é uma rara oportunidade de ver Angel Vianna no palco, já que a bailarina nunca deixou de dançar. Por outro lado, a apresentação não deixa de ser um momento emocionante, pois mostra o quanto Angel continua firme e ativa, mesmo depois de 62 anos de vida dedicada à dança. As informações são do Jornal da Tarde.

Qualquer Coisa a Gente Muda - Sesc Belenzinho (R. Padre Adelino, 1.000). Tel. (011) 2076-9700. Sex. e sáb., às 21h; dom., às 18h. De R$ 6 a R$ 12.

Tudo o que sabemos sobre:
dançaAngel Vianna

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.