"Esperança" deve ficar mais apimentada

Não tem sido fácil a vida do dramaturgo Walcyr Carrasco desde que assumiu a novela Esperança no lugar de Benedito Ruy Barbosa, há duas semanas. Carrasco tem insistido em deixar claro que seu trabalho é apenas continuar a trama de acordo com o formato criado por seu antecessor. Mas o diretor da novela, Luiz Fernando Carvalho, declarou que os romances da história devem ficar mais "apimentados" em razão do próprio estilo do autor substituto.Carrasco disse que não pensou ainda em modificações. Na semana passada, declarou: "Não costumo falar sobre o que ainda não escrevi. Além disso, como é um processo intuitivo, não há nada planejado." Mesmo o fato de pela primeira vez trabalhar no horário nobre da Rede Globo tem sido desdenhado por ele. "Horário para mim não importa."A emissora, contudo, não deve estar satisfeita com a audiência de Esperança. Nas últimas semanas, a média da novela no Ibope esteve em torno dos 35 pontos. Mesmo que Carrasco defenda que a trama "tem um nível de participação de audiência excelente", é sabido que a Globo esperava dez pontos a mais no Ibope.Enquanto o elenco aguarda as modificações, alguns atores têm expressado solidariedade a Benedito Ruy Barbosa, que tirou licença, entre outros motivos, para cuidar da mãe, que está com problemas de saúde. Mesmo reclamando do atraso da entrega de capítulos, muitos ficaram chateados com a saída do autor.Entre eles, estão Raul Cortez e Ana Paula Arósio, que fizeram questão de prestar solidariedade ao dramaturgo, dizendo que torcem por sua volta o mais rápido possível - o que a maioria considera improvável, já que Esperança tem previsão de sair do ar em fevereiro.O próprio Carrasco se manifestou: "Lamento que o Benedito esteja com problemas pessoais. Preferia que ele continuasse a novela, que é dele." Esperança já é uma das novelas mais problemáticas da Globo. Além dos atrasos e da audiência abaixo do esperado, nunca tantos atores se acidentaram durante as gravações e fora dela. Mais de dez pessoas do elenco foram vítimas de pequenos acidentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.