"Esperança", a volta dos italianos ao horário nobre

Sai a dança do ventre e volta ao ar a tarantela. Depois do sucesso de O Clone, que tem feito a Rede Globo registrar históricos picos de audiência de até 67 pontos no Ibope, o autor Benedito Ruy Barbosa assume a responsabilidade de fazer seus italianos renderem tantos pontos quanto os muçulmanos de Glória Perez. Para o autor, essa missão não significa responsabilidade maior do que já recebeu em outras ocasiões. "Acho ótimo receber um Ibope tão bom quanto o de O Clone, porque geralmente sou chamado para apagar incêndios. Não vou precisar ensinar as pessoas a se habituarem a gostar de novela novamente", ressalta. A perfeita combinação entre os textos de Benedito com a direção de Luiz Fernando Carvalho costuma resultar em belos exemplos de cinema feito para a televisão. Foi assim em Sinhá Moça (1986, Globo), Vida Nova (1988, Globo), Pantanal (1989, Manchete), Renascer (1993, Globo) e O Rei do Gado (1997, Globo). "É impressionante como ele sabe interpretar meus textos da forma como eu imagino que tenha de ficar no vídeo", elogia o autor, lembrando que em suas novelas, "o ser humano é sempre o ponto de partida e o ponto de chegada". Quando alguém pergunta ao autor se ele não se cansou de contar histórias sobre italianos, o neto de imigrantes da Itália costuma responder sem pestanejar. "Daquele navio que trouxe dois mil imigrantes italianos em Os Imigrantes (1981, Band), tirei a história de três Antônios. Em Terra Nostra fui buscar outros personagens e contei uma outra história. Poderia contar duas mil. Terra Nostra agora é passado, não tem nada a ver. Esperança é esperança, é um passo à frente, está melhor condimentada e mais abrangente. Fala de outros povos que não só o italiano. Tenho o espanhol, o português, o judeu, essa miscelânea que forma o povo brasileiro", salienta Benedito, descartando as semelhanças entre Terra Nostra e sua nova obra.Romeu e Julieta - Esperança começa na Itália, em Civita de Bagnoreggio, no ano de 1931. A região foi uma escolha do próprio diretor, que ouviu falar da localidade na época em que visitou a Itália para gravar cenas de O Rei do Gado. "Nem chegamos a pesquisar uma região, já fui direto pra Civita. É um lugar no Norte da Itália, entre Lazio e a Toscana, que se preservou de um terremoto que destruiu tudo em volta. É praticamente uma ilha, onde não entra nem carro", explicou Luiz Fernando, lembrando do árduo trabalho da equipe para transportar o material de gravação até o local. Será justamente em Civita que começa o amor proibido entre Toni (Reynaldo Gianecchini) e Maria (Priscila Fantin). O motivo de esconder o namoro é o ódio que seus pais sentem graças às convicções políticas de cada um: Genaro (Raul Cortez), pai de Toni, é um homem libertário; enquanto Giulianno (Antônio Fagundes) é um fascista convicto, que prometeu a mão da filha ao amigo Martino (José Mayer). Apaixonada, Maria tem uma noite de amor com Toni, que está de viagem marcada para o Brasil. A mudança de país também provoca o rompimento de Toni com seu pai, Genaro, que não aprova a mudança. O tio Giuseppe (Walmor Chagas) é a única pessoa que o apoia na viagem à nova terra, fazendo-lhe uma confissão pouco antes de morrer: quando morou no Brasil, teve uma filha brasileira, Nina (Maria Fernanda Cândido), a quem só viu quando ainda era muito pequena. Quando Toni embarca clandestinamente no navio, com a promessa de ficar rico e voltar para se casar com Maria, a italianinha descobre que está grávida. Sua avó, Nona Luisa, é a única a ficar do seu lado e até tenta ajudá-la numa fuga frustrada para o Brasil. A situação de abandono a obriga a aceitar o casamento com Martino, que a ama verdadeiramente.Já no Brasil, Toni é acolhido pelo estivador Mathias (Milton Gonçalves) e se instala na casa de Agostino (Chico Anysio). Com o tempo, o italiano consegue um emprego na loja do judeu Ezequiel (Gilbert), pai de Camilli (Ana Paula Arósio), por quem logo ele se apaixona. Toni até contará com o apoio do sogro e patrão no namoro, desde que abandone o catolicismo e se converta ao judaismo. Coincidências - Uma das poucas semelhanças entre Esperança e Terra Nostra é o nome da fazenda, que também batiza a novela. Esperança, que será disputada por Francisca (Lúcia Veríssimo) e Vincenzo (Othon Bastos), era o nome da fazenda de Gumercindo (Fagundes) em Terra Nostra. Francisca, que ganha dos empregados o apelido de "mão-de-ferro", é viúva e insiste na compra da fazenda para realizar um dos últimos desejos do marido. Inconformada pela viuvez, ela se torna uma mulher amarga e será intolerante com os novos vizinhos italianos, a quem reconhece como inimigos. Para isso, fará de tudo para comprar Esperança de Vincenzo e sua família e mandá-los de volta para a terra natal.Quem é quem em EsperançaTONI (Reynaldo Gianecchini) - Filho de Genaro (Raul Cortez) e Rosa (Eva Wilma). Foi preparado pelo pai para ser pianista, mas seu sonho é ser artesão. Apaixonado por Maria, briga com a família para viajar para o Brasil, onde espera ganhar muito dinheiro e voltar à Itália para buscar a mulher que ama. MARIA (Priscila Fantin) - Filha de Giuliano (Antônio Fagundes), maior inimigo de Genaro, só conta com o apoio da avó Luiza (Fernanda Montenegro) para abençoar o namoro com Toni. Quando ele viaja para o Brasil, descobre que está esperando um filho do rapaz e acaba se casando com o rico fazendeiro Martino (José Mayer), homem bem mais velho a quem foi prometida pelo pai. GIUSEPPE (Walmor Chagas) - Irmão mais velho de Genaro, viveu durante 20 anos no Brasil e é responsável por alimentar em Toni a vontade de desbravar as novas terras. Tuberculoso, graças às várias prisões que sofreu no Brasil por conta de sua postura anarquista, antes de morrer revela ao sobrinho que teve uma filha brasileira, Nina (Maria Fernanda Cândido).FRANCISCA (Lúcia Veríssimo) - Viúva, mãe de Maurício (Ranieri Gonzalez) e Beatriz (Miriam Freeland), não se conforma em perder as terras vizinhas para os italianos e fará de tudo para comprar a fazenda de Vincenzo (Othon Bastos) e Constancia (Araci Esteves). CAMILLI (Ana Paula Arósio) - Judia, filha do comerciante egípcio Ezequiel (Gilbert) e da russa Tzipora (Eliana Guttman), vai se apaixonar perdidamente por Toni e lutar por seu amor. Também fazem parte do elenco: Otávio Augusto, Denise Del Vecchio, Laura Cardoso, Regina Maria Dourado, Chico Anysio, Milton Gonçalves, Gabriela Duarte, Emilio Orciollo Netto, Simone Spoladore, Zé Victor Castiel, Antonio Petrin, Paulo Goulart, entre outros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.