Especial de aniversário do Altas Horas atrai 40 mil no Rio

Os termômetros registravam mais de 36 graus e uma tempestade se anunciava. Mesmo assim, o público não parava de chegar. Foi nesse clima que o "Altas Horas" reuniu, no dia 8 deste mês, 40 mil pessoas durante a gravação do especial de aniversário de nove anos do programa. No ar amanhã, logo após o Supercine, a atração teve como cenário o Piscinão de Ramos, no Rio de Janeiro, e colocou no mesmo palco artistas populares como Zeca Pagodinho, Alcione, Os Paralamas do Sucesso e Samuel Rosa, do Skank.

AE, Agencia Estado

27 de novembro de 2009 | 11h02

"Todo ano, organizamos a festa fora dos estúdios. Dessa vez, tivemos vontade de fazer em um lugar diferente, principalmente levando em conta a população", diz Serginho Groisman. Segundo o apresentador, a ideia era escolher um lugar "onde normalmente as pessoas não têm acesso a informação cultural".

Durante as mais de três horas de gravação, Groisman interagiu com a comunidade, entrevistando alguns moradores da região, comandou um desfile com as beldades do Piscinão e deixou o microfone livre para quem quisesse fazer suas reclamações.

Mesmo assim, a música dominou a festa. No palco com vista para o Piscinão, Groisman promoveu encontros entre Os Paralamas do Sucesso e Samuel Rosa, enquanto Zeca Pagodinho dividiu a cena com Alcione. Tudo com repertório escolhido na hora. O funk foi representado pela dupla Amilka e Chocolate.

Preparando novidades para 2010, quando a atração comemora seus dez anos, Groisman quer continuar a levar o programa para as comunidades afastadas do centro. Há planos de gravar quadros em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Recife. Paralelamente a isso, o apresentador vai lançar um DVD com o registro de todos os aniversários do "Altas Horas". Tanto carinho com a atração tem motivo: é seu trabalho mais duradouro na TV. "No Programa Livre (SBT) fiquei oito anos." As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
televisãoGloboAltas Horas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.