Felipe Rau|Estadão
Felipe Rau|Estadão

Espaço de Campinas vai ter investimento estadual

Complexo arquitetônico do Centro de Convivência Cultural de Campinas (CCC) foi desativado desde 2011

Adriana Menezes, ESPECIAL PARA O ESTADO

22 Dezembro 2016 | 20h06

CAMPINAS - O complexo arquitetônico do Centro de Convivência Cultural de Campinas (CCC), desativado desde 2011 e ameaçado pela rápida deterioração das instalações, vai receber investimentos da administração municipal e do governo do Estado em 2017. O prefeito Jonas Donizette (PSB) disse nesta quinta, 22, que o programa de recuperação é meta prioritária. O conjunto de quatro edifícios, construído entre os anos 60 e 70, está interditado por causa de graves infiltrações, deficiências da rede elétrica e colapso da mesa eletrônica de iluminação do teatro interno. A crise foi denunciada pelo Estado em novembro. O custo da revitalização é estimado em R$ 25 milhões. O trabalho pode ser executado em etapas.

Os recursos necessários à reforma devem sair da dotação de R$ 80 milhões destinada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) à construção da Ópera de Campinas, prédio com auditório de cerca de 1,2 mil lugares, mais as instalações de apoio para coro, orquestra, corpo de dança e centro de documentação. Criado em 2013, o fundo não foi aplicado – a iniciativa chegou ao estágio de licitação quatro vezes e em todas elas acabou sendo travada por contestações dos grupos interessados. O edital mais atualizado fixa o gasto com a obra em R$ 89,7 milhões.

O prefeito Donizette vai negociar com o governador Alckmin a autorização para aplicar até R$ 40 milhões em um projeto amplo na área da cultura envolvendo a modernização de outros dois teatros e também no sistema de atendimento à saúde. “Levei em conta a opinião pública; as pessoas discutiam a oportunidade de se construir novo teatro lírico em Campinas enquanto há na cidade um outro equipamento que precisa e pode ser reabilitado.” Jonas destacou que não vê “outra fonte de recursos para a recuperação, mesmo na iniciativa privada”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.