Esculturas de Henry Moore ganham a Pinacoteca

Nas comemorações do centenário da Pinacoteca, São Paulo recebe, a partir de hoje, a maior retrospectiva do artista britânico Henry Moore na América Latina, reunindo 239 obras, entre desenhos, gravuras e esculturas.A mostra, feita em parceria com o British Council e Henry Moore Foundation, marca o início das comemorações do centenário da Pinacoteca - a data exata é 25 de dezembro. Já na entrada do museu o visitante será recebido pela obra Oval com Pontas, bronze de 1968-1979; da Avenida Tiradentes poderá enxergar uma das figuras reclinadas de Moore colocada no belvedere; o conjunto de esculturas no espaço octógono; e a Cabeça Grande de Totem, abrigada em área externa, quase no jardim. Para vê-las, portas de madeira antes fechadas ficarão abertas - o que torna especial a luminosidade dos espaços. Henry Moore - Uma Retrospectiva, que depois será exibida no Paço Imperial, no Rio, e no Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília, tem curadoria de David Mitchinson, diretor de acervo e exposições da Fundação Henry Moore (criada pelo artista em 1977, a instituição funciona em Perry Green e Leeds) e de Anita Feldman Bennet, que optaram por fazer uma mostra cronológica. Desde a primeira sala as esculturas são intercaladas por desenhos - uma prática constante de Moore - e apresentam os diversos caminhos, desde as práticas mais acadêmicas de início até suas formas estilizadas; temas recorrentes; os materiais diferentes; suas idas e vindas entre figuração e abstração; e curiosidades como a vitrine com pedaços de ossos, conchas, maquetes e outros achados que o artista usava como inspiração para suas formas. Uma aula sobre Moore.Henry Moore - Uma Retrospectiva - Pinacoteca do Estado. Praça da Luz, 2, metrô Luz, 3229-9844. 10h/17h30 (fecha segunda). R$ 4 (grátis aos sábados). Até 12/6. Abertura na segunda, às 19 horas, para convidados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.